Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Pânico provoca pânico verdadeiro com pandemia

Luciana Kotaka

O pânico é um sinal de alerta do corpo gritando para ser olhado e curado. Quando iniciamos um trabalho terapêutico o psicólogo irá trilhar junto com o seu paciente na busca pela raiz do sintoma, visto que alguns casos são mais desafiadores do que outros na eliminação dos gatilhos que levam ao pânico.

Podemos pensar em um copo de água que vem enchendo aos pouquinhos e em algum momento o copo fica cheio e transborda. Situações de estresse, acidentes, internações de risco, problemas financeiros, assalto, sequestro, abuso sexual, crises no casamento e a perda de alguém querido podem ser a última gota que encherá o copo e que fará a crise se apresentar.

Em paralelo com a terapia, a hipnose favorece imensamente o trabalho, pois também irá auxiliar o cliente para que este consiga eliminar os sintomas presentes. Durante as sessões o mesmo irá aprender diversos recursos para serem utilizados em momentos em que a crise se apresenta e também poderá realizar diversos exercícios para aprender a se focar no momento e sair do processo de ansiedade exacerbada.

Identifico na clínica em meus atendimentos que sempre há na história do paciente um trauma inicial que leva posteriormente às crises de pânico, mas nem sempre os mesmos são conscientes visto que muitos traumas são esquecidos e armazenados no inconsciente. Isso ocorre como forma de proteção para assim evitar a reedição constante da dor inicial.

Há casos em que em poucas sessões já se eliminam os sintomas e outros que são mais desafiadores, porém sempre alcançamos excelentes resultados. Esse é um processo muito tranquilo de ser trabalhado, mas quando não tratado devidamente sempre há o risco da reincidência do ataque de pânico.

Veja abaixo a lista de sintomas que ocorrem quando a crise se apresenta:

– falta de ar;
– pressão ou dor no peito;
– sudorese;
– batimentos cardíacos acelerados;
– agitação;
– medo de perder o controle;
– tremores
– formigamento ou dormência;
– tonturas e náuseas;
– calafrios ou ondas de calor;
– sensação de estar fora do corpo;
– medo de morrer;
– desmaio ou vômito;
– sensação de irrealidade ou de distanciamento.

Após o primeiro episódio de pânico a pessoa apresentará muito medo da recorrência da crise, o que gera ainda mais ansiedade e sofrimento emocional. É como se um fantasma ficasse à espreita o tempo todo, por isso é importante identificar logo de início quando se iniciam os sintomas e buscar algum recurso eficaz.

O tratamento da psicologia aliado à hipnose são bem importantes para o manejo da crise e eliminação dos sintomas, sendo recursos necessários para que se busque o equilíbrio emocional e bem-estar físico.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente