Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Papai Noel, do grupo de risco, é função essencial

Ana Gabriela Costa/CNN - Carolina Paiva, Edição

O bom velhinho, mesmo estando no grupo de risco, vai poder trabalhar normalmente na Irlanda neste Natal, apesar da pandemia de coronavírus e do lockdown que foi determinado no país. O governo irlandês anunciou, nesta quinta-feira (26), que o Papai Noel é considerado trabalhador essencial e está liberado para transitar pelas residências durante as festas.

O anúncio, feito pelo ministro das Relações Exteriores, Simon Coveney, foi dedicado especialmente às crianças.

“Mensagem importante para as crianças da Irlanda – Papai Noel está vindo e está isento das restrições de viagens causadas pelo coronavírus. Como ministro das Relações Exteriores, tenho lidado com essa questão do Papai Noel já tem algumas semanas, é importante dizer a todas as crianças do país que consideramos as viagens do Papai Noel, como viagens essenciais, portanto, ele está isento da necessidade de fazer a quarentena por 14 dias, e está livre para transitar pelo espaço aéreo e pelas casas irlandesas”, declarou Coveney.

As medidas de distanciamento social, entretanto, foram ressaltadas como essenciais para que as entregas de presentes sejam realizadas com segurança.

“Estou certo de que as crianças não devem ficar acordadas a noite toda, porque o Papai Noel ainda precisa de distanciamento social. As pessoas devem se manter a pelo menos 2 metros de distância, para assegurar que ele fique seguro.”

A Irlanda, um dos primeiros países da União Europeia a declarar lockdown de seis semanas, com o intuito de conter a segunda onda de coronavírus que atinge a Europa, destacou que este será um Natal muito atípico.

“Ele já confirmou sua presença conosco e está muito feliz que a Irlanda tenha assegurado isso no Natal de 2020, que será um Natal muito, muito diferente. Mas a visita do Papai Noel é algo que permanecerá”, finalizou o ministro.

A Irlanda já registrou 71.494 casos de coronavírus e 2.036 mortes foram causadas pela doença, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, atualizados nesta quinta-feira.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente