Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Pazuello vai ter que explicar testes encalhados

Bartô Granja, Edição

A comissão do Congresso Nacional que acompanha medidas de combate à Covid-19 aprovou nesta terça-feira convites ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para que esclareça o encalhe de quase 7 milhões de testes para diagnóstico da nova doença prestes a vencer.

O presidente da comissão que monitora a atuação do governo federal, senador Confúcio Moura (MDB-RO), afirmou que a expectativa é que Pazuello seja ouvido em audiência no dia 4 ou 7 de dezembro.

O jornal Estado de S. Paulo informou que testes do tipo RT-PCR comprados pelo Ministério da Saúde com vencimento entre dezembro e janeiro estão guardados em um depósito no aeroporto de Guarulhos –são cerca de 6,86 milhões de unidades.

Na segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro tentou culpar os governos locais pelo encalhe, argumentando em rede social que o material foi enviado para Estados e municípios. A informação, no entanto, foi desmentida pelo Ministério da Saúde, que, em nota, admitiu que os testes não foram distribuídos e estão no depósito em Guarulhos. A pasta não confirmou que os testes estão para vencer, mas citou a chegada nesta semana de “estudos de viabilidade estendida” para os testes em estoque, a serem entregues à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Integrantes da comissão do Congresso aprovaram um outro requerimento para uma audiência pública com Pazuello, mas sobre reuniões que realizou com laboratórios desenvolvedores de vacina contra o coronavírus, com o “objetivo de debater e esclarecer dúvidas acerca de nota publicada pelo Ministério da Saúde, no dia 22 do corrente, em que informa que realizou reuniões, na semana passada, com a presença dos cinco laboratórios cujas vacinas para a Covid-19 encontram-se em fase avançada de desenvolvimento”, diz o convite ao ministro aprovado nesta terça.

Há ainda a expectativa de realização de uma audiência pública na comissão no dia 14 de dezembro com o ministro da Economia, Paulo Guedes. A pasta foi alvo de um pedido de informações aprovado nesta terça pela comissão.

Parlamentares querem esclarecimentos sobre os “critérios técnicos adotados para o registro contábil e orçamentário decorrente da perda de eficácia de medidas provisórias que abrem créditos orçamentários extraordinários”, instrumento bastante utilizado pelo governo durante o período de combate à pandemia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente