Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


O desequilíbrio

Pensamento compulsivo prejudica alimentação

Publicado

Foto/Imagem:
Luciana Kotaka, com edição de Carolina Paiva

O pensar compulsivo tem uma ligação muito estreita com os desequilíbrios alimentares, visto que o gatilho por trás desse descontrole é a ansiedade. Nem sempre nos damos conta do tamanho desse problema, temos por hábito pensar de forma superficial sobre o tema, e isso também é fruto de uma mente ativa que não para, não pensamos mais profundamente sobre o que sentimos, sobre os efeitos da mente sobre o nosso comportamento.

O círculo vicioso do fazer, do produzir, do cumprir metas nos coloca em uma situação de vulnerabilidade, visto que vamos deixando de lado o hábito de analisar profundamente nossos desejos reais, no que verdadeiramente nos dá satisfação, e onde precisamos realmente colocar a nossa atenção.

A pressão chega através de vários estímulos, a internet atualmente acaba sendo um dos gatilhos que mais gera a ansiedade, pois mexe com os nossos desejos internos, fica nos cutucando a cada página que visitamos, nos perseguindo. Por um lado, a pressão do trabalho nos esmaga, as questões familiares e afetivas, e por outro lado vamos nos aliviando comprando, comendo, consumindo tudo o que está disponível para diminuir o estresse interno.

Tudo faz parte de uma construção diária, estímulo e resposta. Os pensamentos levam a ações impensadas justamente pelo fato de não se parar para analisar com critério cada questão, vamos tomando os estímulos mentais como verdadeiros e passamos a desejar sem parar. Pensamos, ficamos ansiosos, compramos, comemos, vamos abrindo e fechando buracos internos o tempo todo.

O resultado de todo esse mecanismo que descrevi acima é o aumento de peso, o comer compulsivo, a insatisfação com o corpo, e tudo isso de alguma forma irá interferir na qualidade de vida, no trabalho e nas relações pessoais. Um círculo interminável de insatisfação em que a ansiedade funciona como um estimulador oculto.

A ansiedade se tornou algo corriqueiro, estamos expostos o tempo todo aos seus malefícios, ficamos sempre esperando algo acontecer, algo que nos tire da inércia, que nos faça sentir satisfação e felicidade. Mas esse processo causa um desgaste mental, emocional e físico muito grande, assim sendo imprescindível adotarmos medidas práticas para aliviar toda essa carga emocional.

– Procure acalmar a mente sempre que perceber que está agitado, pare um pouco e respire algumas vezes;

– A prática de uma atividade física irá ajudar a regular todas as funções do seu corpo, auxiliando a um relaxamento mental e, consequentemente, emocional;

– Faça uma lista de suas prioridades no trabalho, assim conseguirá ter um melhor aproveitamento de tempo;

– Ao se perceber ansioso e com vontade de consumir algo para obter satisfação, pare e respire, avalie com cuidado se realmente precisa do produto;

– A ansiedade também nos faz tomar iniciativas que podem ser maléficas, por exemplo, responder a uma mensagem sem pensar se realmente estamos sendo assertivos, então devemos avaliar muito bem antes de enviar;

– A comida é uma das fontes mais rápidas de satisfação e está ligada a todo processo descrito acima, por isso vale a pena compreender todo o processo da ansiedade que está por trás da necessidade de comer, até para que possa resolver cada angústia, raiva, medo, solidão e tristeza da forma mais adequada, não alimentando o corpo de mais gordura indesejada.

Muitas vezes insistimos em olhar para a questão alimentar de forma isolada, mas ela é um complexo mecanismo que vai se desdobrando e gerando mais questões a serem resolvidas. Então eu te convido a olhar de forma mais abrangente para a sua vida, pois se conseguir entender como você entra no ciclo do estresse, de como os pensamentos e a ansiedade alimentam o comportamento compulsivo, será muito mais fácil controlar a ingestão de comida.

Publicidade
Publicidade