Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Vota Brasil

‘Peru de fora não se manifesta sobre eleições no Brasil’

Foto/Arquivo Notibras
Dênia Magalhães

Vivendo em Brasília é possível lidar com pessoas de todo o mundo. Algumas fantásticas. Outras nem tanto! Os portugueses, a meu sentir, por diversas razões, não são estrangeiros no Brasil.

Apesar de Brasília ser uma cidade jovem, não é incomum conhecer um português que tenha imigrado para o Brasil, estabelecendo comércio e família. Digo isso, para afirmar que admito discutir com os compatriotas dos meus antepassados sobre os destinos do Brasil. O mesmo não vale para nenhum outro estrangeiro!

O Brasil é o filho mais velho e prodigioso de Portugal. Graças a Portugal somos o 4° maior país do mundo em terras contínuas e a sétima economia do mundo, tendo o Tratado de Madri somente legalizado o enorme esforço de Portugal.

Às vezes, me parece que os portugueses têm algum complexo de culpa pelas colonizações. Desnecessário! Se os portugueses não tivessem vindo, o Brasil teria sido fragmentado como todo o resto da América Latina e não falaríamos a língua de Camões, Fernando Pessoa, Eça de Queiros, José Saramago etc…

Eu adoro ter na boca essa Última Flor do Lácio! Ainda bem que nos ensinaram o português. Minha pátria também é a língua deles! Temos problemas?! Muitos, muitos mesmo!

O momento político é muito delicado. Passamos por 13 anos de governo de esquerda, que gerou muitos avanços, sem dúvidas! Mas, resultaram numa infinidade de problemas. O saldo foi extremamente negativo.

O governo Lula montou um esquema de corrupção terrível para se perpetuar no poder, atentando contra a democracia – me refiro ao Mensalão, a prática cretina e hedionda de comprar deputados corruptos com dinheiro público.

Com o escândalo do mensalão, o PT balançou e quase caiu do poder. Mas, as commodities estavam em alta e o maior parceiro comercial do Brasil, a China, batia recordes de crescimento, junto com o resto do BRICS. Em que pese todo o escândalo de corrupção, a economia nunca estivera tão bem e o país crescia horrores.

O candidato natural do PT seria o José Dirceu, mas ele foi preso no mensalão junto com todo o núcleo pensante do PT. Lula sacou do bolso o Plano B. Indicou uma pessoa inexpressiva politicamente, desastrada, truculenta e péssima gestora.
Claro que me refiro à Dilma. Com Dilma estourou o escândalo do Petrolão – o maior escândalo de corrupção da história brasileira, superando o Mensalão.

O objetivo do Petrolão, via pilhagem na Petrobrás, era angariar dinheiro para a campanha do Partido dos Trabalhadores. Com doações milionárias, num país tão grande e com tantos contrastes sociais, conseguiriam facilmente ganhar as eleições.

No entanto, com esse escândalo vindo à tona, Lula foi preso e o governo da desastrada foi legitimamente deposto, não necessariamente nessa ordem.

Agora, não restava mais nada. O PT estava nu! Para melhorar a imagem inventou a estorinha do golpe. Golpista mesmo foi o PT, que usou a corrupção para se perpetuar no poder.

O projeto de poder incluía ajuda mútua externa entre as nações “amigas”! Foram enviados bilhões de dólares para ditaduras sanguinárias na África, América do Sul e Ásia.

Interessante que não recebo dos conhecidos estrangeiros quaisquer críticas à Cuba, à ditadura venezuelana, Irã, Angola, nem me perguntaram os ingleses que conheço se deviam votar no Brexit; os meus amigos americanos tampouco me perguntam se deviam votar no Trump etc…

Aliás, assisti no Youtube uma matéria interessante editada por um jornal de Angola. Um repórter diz, no texto, que tinha lido todo o processo do Lula, mais de 10 mil páginas (incrível a capacidade de leitura desse repórter!) e não achou nenhuma prova contra Lula. Mais incrível ainda!

Disse também que houve um golpe contra a Dilma e prenderam Lula porque ia ganhar a eleição.

Esqueceu o douto repórter de dizer que Angola foi um dos países que mais receberam dinheiro do Brasil, para as roubalheiras das empreiteiras brasileiras em acordo com o governo do ditador José Eduardo, presidente que ficou “apenas” quase duas décadas no poder angolano.

Ah!, a filha do José Eduardo adora o Brasil. Trata-se de uma mulher riquíssima, que gosta de badalos e de fazer compras em nossos shoppings mais caros. Essa jovem, sempre muito bem vestida, tem muito bom gosto nas compras e não economiza no luxo. Compra joias e roupas caríssimas. O socialismo africano, como também o sul-americano, traz muita prosperidade aos governantes.

Voltando ao que interessa: o principal problema do Brasil não é o econômico. O PT surfou na onda globalista e do politicamente correto e dividiu o povo brasileiro para governar. Somos hoje um povo esfacelado. Outrora como uma nação essencialmente mestiça, nunca tínhamos visto nenhum mal nisso.

Havia racismo no Brasil?! Claro que sim! Mas não na proporção que a esquerda desejava para o projeto divisionista. Era necessário o brasileiro achar que estava, nos anos de 1950, no Alabama, vendo uma cruz queimar em frente à casa de um negro. Afinal, ódio precisava ser parido!

Hoje está bem claro quem embalou aquele berço! Acreditávamos ser uma imensa vantagem, um almoço em família, com primos mais claros e mais escuros juntos numa mesma mesa, homens e mulheres, gays, héteros etc. Mas, a tese diabólica era de dividir para governar! Embalando o berço do horror!

Nesta esteira, foram feitas leis de cotas racistas, lei sexistas de violência doméstica que incluem mulheres, gays (no futuro até animais), mas excluem o homem hétero. Encaminharam ao Congresso leis colocando gays x héteros. De tudo fizeram tudo para colocar todos contra todos e fomentar o pior do ser humano!

Por fim, aparelharam a Justiça e o Ministério Público. Mesmo que o próximo governo, seja ele qual for, retorne ao caminho da união, o estrago já foi feito. E que estrago!

O Brasil passou por uma ditadura?! Claro que sim! Principalmente depois do AI-5.
Quais os grupos que lutavam pela democratização? Nenhum! Nem a direita, nem a esquerda! Na esquerda, inclusive, não há nada em seus registros de estatutos, reuniões etc que queriam o retorno à democracia. Muito pelo contrário, lutavam por uma ditadura semelhante a Cuba, URSS e China. Inclusive, mataram civis, assaltaram, explodiram aeroportos, quarteis, fizeram justiçamentos ao seu bel prazer.

A lista é imensa. Fico pasma com a amnésia dos analistas atuais, pois parece que a esquerda tem o monopólio da virtude! O problema é que “eu sei o que todos fizeram no verão passado”! Os dois lados avançaram no terreno do absurdo! Mas, em 1979, recomeçou o processo de democratização.

O governo militar estava extremamente desgastado, a sociedade não aguentava mais. Houve um marco legal para retomarmos a democracia, sem revanchismo de parte a parte. Foi elaborada a Lei da Anistia.
Todos os exilados retornaram, os crimes cometidos pela esquerda e pela direita seriam perdoados.

É o ideal a Lei da Anistia?! Claro que não! Mas remexer feridas, mágoas de parte a parte, acredito que seja a pior maneira de pacificação.

Portanto, os que acusam o candidato da direita de apoiar ditadores do regime militar estão certos, mas esqueceram de dizer que muitos desses acusadores também têm as mãos sujas de sangue, pois participaram de atos terroristas e mataram civis.

Não tem ninguém virgem e puro nesta tragédia brasileira.

Quem mais namora com o autoritarismo é o PT. Querem voltar cheios de mágoas no coração. O primeiro ato de Haddad, se eleito, será anistiar o corrupto Lula. Depois, fazer uma nova constituição, dando a si próprio os poderes que ainda não foram aparelhados pelo PT, estabelecer controle de promoção e doutrinação na Polícia Federal, nas Forças Armadas e controle da imprensa. Vale a pena ler criticamente o programa de governo do PT.

Longe de Bolsonaro ser o presidente dos meus sonhos, mas é o que temos no momento. No programa do partido de Bolsonaro não existem projeto de ditadura, golpe, nova constituinte, controle da Policia Federal, controle das Forças Armadas e controle da imprensa.

Portanto, aos estrangeiros que tentam me convencer a não votar em Bolsonaro, um aviso: não posso votar em criminosos cuja prisão se deve ao fato de terem estuprado as contas públicas e a democracia!

Só um jornal italiano conseguiu fazer uma análise do momento brasileiro sem o ranço do politicamente correto: “O Brasil vota na direita, porque a esquerda é ridícula”. E acrescenta: “o candidato Haddad vai a prisão pedir conselhos a Lula e depois perguntam por que o povo prefere o ex-militar Bolsonaro”!

Ainda acredito nesta pátria grande chamada Brasil! O país, dentro do processo democrático, com as instituições democráticas funcionando livres e plenamente, com a imprensa livre e independente de verba pública de publicidade, passará por um duro processo de assepsia. E depois de lamber as próprias feridas e se reinventar, se pacificará.
Não há outro caminho sem a democracia. Não há outra possibilidade. Todos somos brasileiros, inclusive os portugueses que aqui vivem.

O contraditório é o sal da vida na ciência política. E ouvir as opiniões diferentes é extremamente salutar. Mas precisamos assumir de verdade o controle sobre nosso país. Enquanto há tempo.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente