Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

PF quer apurar Caixa 2 de ato antidemocrático

Antônio Albuquerque, Edição

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, foi acionado pela Polícia Federal no sentido de autorizar a abertura de mais um inquérito envolvendo os supostos atos antidemocráticos promovidos por bolsonaristas em 2019 e 2020. As suspeitas sugerem a existência de um Caixa 2 para patrocinar o movimento.

Para justificar o pedido, a PF enfatizou a necessidade de ‘elucidar muita coisa que merece ser devidamente esclarecida’. Esse suposto Caixa 2 seria abastecido por uma empresa de eventos de fachada. “Os fatos ainda não foram claramente delineados e necessitam de aprofundamento”, revela documento dirigido a Moraes.

“O presente evento traz elementos que apontam para a necessidade de aprofundamento. Sugere-se ao juízo que determine a separação desse evento para permitir a instauração de um inquérito policial próprio”, diz o relatório da PF assinado pela delegada Denisse Ribeiro.

A criação de uma ‘empresa para eventos’ teria como objetivo “justificar os gastos com o Ivan”. A PF, porém, não conseguiu identificar quem seria Ivan.um dos pontos que justificaria o aprofundamento das investigações. A informação sobre o pedido da Polícia Federal surge no momento em que a Procuradoria-Geral da República  pede que o ministro Alexandre de Moraes arquive as investigações sobre os atos antidemocráticos, por não ter chegado a nenhuma conclusão.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2021 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente