Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

PM vai multar errado para livrar infrator e dar trabalho ao Governo



Na briga que se arrasta com o Palácio do Buriti, os policiais militares decidiram adotar procedimentos que permitam um “boicote” às atividades. As estratégias foram divulgadas por e-mail por um dos movimentos. As orientações incluem confeccionar autos de infração de trânsito com dados incorretos, para obrigar o Detran a anular a multa.

Vice-presidente da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do DF, o sargento Manoel Sansão afirmou que a ordem é “radicalizar”. “Não há motivação para os policiais trabalharem. Não adianta o Agnelo enganar a sociedade de que tem policial na rua, porque é só o corpo que está lá. Ninguém está trabalhando direito. A situação só vai piorar. Nós vamos radicalizar”, disse.

Os militares recorreram da decisão do Tribunal de Justiça determinando o fim da operação tartaruga. Eles também participaram de uma audiência pública na Câmara dos Deputados com os parlamentares do DF e com o secretário de Segurança, Sandro Avelar.

Na ocasião, Avelar afirmou que o aumento da violência na capital federal ocorre por causa da ação de menores infratores. Segundo ele, a legislação brasileira permite que os adolescentes retornem às ruas rapidamente e voltem a cometer crimes.

“Muito do que passa pela segurança pública no DF são problemas que passam pela legislação. Sofremos aqui com essa legislação branda que permite que menores cometam crimes bárbaros e continuem inflacionando os números, muitas vezes dificultando a atuação das autoridades policiais”, afirmou.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2021 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente