Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

PT aniversaria, se defende, critica STF e ataca adversários



Na festa dos 34 anos do Partido dos Trabalhadores (PT) em São Paulo, que contou com a presença da presidente da República, Dilma Rousseff, coube ao presidente nacional da legenda, Rui Falcão, ditar o que será o caminho político a ser trilhado neste ano de eleições presidenciais. Ele fez um discurso de defesa do partido, atacou o Supremo Tribunal Federal e classificou os adversários políticos como “neopassadismo” e “novovelhismo”.

Para ele, a chapa tucana é a que forma o “neopassadismo”. “Como não tem quadros modernos, o neopassadismo quer trazer alguns dinossauros de volta. A maioria desses dinossauros foi soterrada pela história. Mas o neopassadismo insiste no seu retorno. Não os identifico aqui, nem menciono os seus nomes em respeito aos que nos ouvem.”

Ele foi além, ao lembrar da apreensão do helicóptero da família do senador Zezé Perrela (PDT), aliado político do presidenciável Aécio Neves (PDT). A aeronave foi apreendida com mais de 400 quilos de cocaína em seu interior. “O algo novo é fechar os olhos, e, quem sabe até, esquecer-se de tapar o nariz, para carregamentos exóticos em helicópteros?”, questionou, sob aplausos da militância.

Sobre a chapa formada por Eduardo Campos e Marina Silva, Falcão os classificou como “novos-velhos ou falsos novos”. “Pensam que com discursos fáceis serão capazes de mudar o Brasil e fascinar os brasileiros. Mas que ninguém se engane, fica aqui o nosso alerta: o PT não nasceu para apanhar calado. Não vamos levar recado para casa nem virar saco de pancadas da nação”, disse ele, que pediu apoio da militância para a reeleição de Dilma Rousseff.

“É também o início de uma grande jornada. Uma caminhada cheia de percalços e obstáculos a suplantar, e com o objetivo inarredável: reeleger a presidenta Dilma Rousseff para consolidar e fazer avançar o projeto de transformações econômicas, sociais, políticas e culturais iniciado pelo presidente Lula em 2003. Sabemos que a população quer mudanças – e as jornadas de junho de 2013 mostraram isso. Mas quer mudanças com Dilma, pois não se deixa seduzir por aqueles que falam em mudar, mas nada acrescentam de verdadeiramente novo ou criativo.”

Falcão ainda disse que a oposição desencadeou contra o PT uma campanha sórdida. “Amparada por uma certa mídia ligada estreitamente aos partidos de oposição. É uma campanha voltada para semear a insegurança, a incerteza, o pessimismo e até o medo entre o povo. Promovem verdadeiras ações de terrorismo psicológico, um enorme tsunami de boatos, esperando assim nos bater nas urnas.”

Ao Supremo Tribunal Federal (STF), Falcão disse que membros da mais alta corte “prejulgam insultando”. “Suspeitam caluniando; e agridem, com uma gratuidade tão espantosa que parece que estamos vivendo em outro País. Uma corte não é um partido político, nem uma torcida organizada.”

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente