Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Venham, estrangeiros, mas aqui temos leis

General Paulo Chagas

Caros amigos

Como Capitão, em 1984, fiz um curso na Escola de Cavalaria da França. Lá, além de conhecer muitos e brilhantes oficiais da Armée Française, conheci um, não menos brilhante, Capitão tunisiano.

Dridi (seu “nome de guerra”) era muito aplicado e exigente, reclamava muito do que lhe era oferecido pelo exército que nos acolhia e brindava com o seu conhecimento, sua doutrina e suas experiências.

Um dia, incomodado com as suas posturas, perguntei-lhe o porquê de tantas contestações, ao que ele me respondeu com o que chamou de um ditado árabe que tinha como fulcro a seguinte mensagem: “Se você quiser me fazer um favor, faça algo que me seja efetivamente útil”.

Ele baseava as suas demandas no fato de que a Tunísia tinha em uso um veículo blindado francês que já era considerado obsoleto na França e que as instruções no curso se davam sobre carros modernos não existentes na Tunísia, o que o levava concluir que o curso não lhe servia para nada.

Hoje, vendo a situação caótica da Europa, em particular a da França, ocupada e desrespeitada pela arrogância de refugiados muçulmanos, acolhidos por “caridade” em seu território, lembro e identifico o espírito do provérbio que orientava a conduta do meu amigo Dridi: “Se você não estiver disposto a me prestar um favor que me sirva, do jeito que eu quero, não o faça, porque ele não me serve para nada”!

Certas, portanto, estão as nações que não os recebem ou que condicionam o acolhimento ao respeito absoluto e incontestável aos costumes do povo anfitrião, como parece servir de exemplo o governo da Austrália.

Certo estará o Brasil se tomar a mesma atitude em relação aos povos que pretender receber em seu amplo e acolhedor território para que convivam com o seu povo afável, alegre e hospitaleiro.

Deverão ser sempre bem-vindos todos os estrangeiros que, por qualquer razão, escolham o Brasil como destino das suas vidas, para, humildemente, trabalhar, produzir e evoluir, respeitando incondicionalmente os nossos costumes, os nossos valores, a nossa cultura, as nossas familias, as nossas virtudes e os nossos defeitos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente