Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Quem disse que cigarro só atinge coração e pulmão?

Foto: Pixabay/Reprodução
Carolina Paiva, Edição

Os tabagistas têm mais um motivo para pensar em largar o vício. Novos estudos indicam que o cigarro não é maléfico apenas para o pulmão e coração. Fumar é um vício que traz repercussões para diversos órgãos do corpo humano, inclusive para o maior deles: a pele.

“É um hábito que causa dano oxidativo ao organismo e liberação de radicais livres (moléculas produzidas pelo corpo que reagem com outros componentes e causam envelhecimento da pele). Tomar sol em excesso e estresse são fatores que aumentam a produção de radicais livres”, explica Alessandra Romiti, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Confira a seguir cinco danos que o cigarro pode causar à pele.

1. Códigos de barra
Esse é o nome popular das linhas de expressão que se formam próximas à boca do fumante. As marcas são uma consequência da repetição de movimentos dos músculos do rosto ao tragar. Aline Pinheiro, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que o efeito é o mesmo de quem tem o hábito de franzir a testa para enxergar contra o sol. As marcas ficam: “Isso é bem comum. O hábito de tragar é como se fosse um exercício físico, você faz um determinado movimento muitas vezes”.

2. Ressecamento
Os “danos oxidativos” citados por Alessandra são um dos responsáveis por uma pele mais seca. A maior produção de radicais livres inibe a produção de colágeno, proteína importante para hidratar e dar elasticidade à pele. Outra característica do cigarro contribui para uma pele seca e rígida: quem fuma experimenta a diminuição do diâmetro de seus vasos sanguíneos, a chamada vasoconstrição. O transporte de substâncias importantes para a pele, portanto, torna-se mais difícil. “Há dificuldade por esse déficit na circulação sanguínea. Com os vasos mais fechados, as substâncias necessárias para hidratar a pele não transitam tão facilmente pelo corpo”, analisa Catarine Padoveze, dermatologista e pós-graduada em cosmiatria.

3. Cicatrização complicada
A diminuição da capacidade de regeneração da pele é outra consequência da vasoconstrição e do aumento de radicais livres provocados pelo cigarro. Assim como substâncias hidratantes não “encontram” o caminho em meio a vasos finos, o mesmo ocorre com elementos que auxiliam na recuperação da pele. E o chamado “dano oxidativo” causado pelos radicais livres acelera o processo de envelhecimento, impactando na capacidade de regeneração. Não à toa os cirurgiões estéticos costumam fazer uma recomendação importante aos fumantes que estão prestes a se submeter a algum procedimento. “Em geral se exige que o paciente fique sem fumar durante algumas semanas, para facilitar a cicatrização”, conta a dermatologista Juliana Piquet, membro efetivo da SBD e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

4. Manchas
Talvez a manifestação mais evidente dos efeitos do cigarro sobre a pele, as manchas amareladas que aparecem principalmente na ponta dos dedos, são resultado da impregnação da nicotina no local. O calor do cigarro potencializa este processo. “O cigarro vai ficando pequeno, e o calor bem próximo da pele causa uma alteração de coloração não só na ponta dos dedos, mas também nas unhas, que ficam completamente impregnadas”, afirma Aline.

5. Celulite
Bem mais comum entre as mulheres, a celulite é um depósito de gordura sob a pele. Suas causas são das mais variadas e incluem fatores hereditários, mas o cigarro aumenta a possibilidade de ela aparecer. Provocada pelo fumo, a piora da circulação sanguínea é a vilã. Quando o sangue não flui da melhor forma possível, prejudica-se a drenagem das toxinas, o que deixa mais viscoso o líquido que fica entre as células, facilitando a formação dos depósitos de gordura.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente