Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Robôs sexuais podem atiçar brigas de casais

Carolina Paiva, Edição

A maneira como os ‘robôs sexuais’ sempre se submetem a seus usuários pode distorcer “as idéias do papel de uma companheira e influenciar as expectativas dos usuários do sexo masculino na vida real”. A preocupação foi manifestada nesta sexta, 30, por especialistas do setor.

À medida que as empresas de tecnologia continuam a desenvolver robôs sexuais cada vez mais avançados, e com as ‘bonecas do amor’ se tornando o foco de afeto de muitas pessoas solitárias em vários cantos do mundo, alguns estudiosos começam a se preocupar com o fato de que essas tendências possam ter um efeito prejudicial nas relações entre os homens e mulheres reais, relata o Daily Star.

De acordo com o jornal, Farhad Udwadia, estudante de medicina da Universidade da Colúmbia Britânica e graduado no programa de Mestrado em Bioética da Harvard Medical School, e Judy Illes, professora de neurologia da Universidade da Colúmbia Britânica, explicaram que “um dos princípios éticos que acompanham o uso generalizado de robôs são o potencial para reforçar estereótipos prejudiciais de gênero”.

Eles argumentaram que “a aparência física reflete grandes expectativas estereotipadas da beleza das mulheres – por exemplo, seios grandes e uma cintura pequena”.

“Tais estereótipos excessivamente sexualizados sobre como uma mulher fisicamente atraente são perigosos. Estudos têm demonstrado que o retrato hiper-sexualizado de mulheres na mídia está ligado ao assédio sexual e a um aumento da violência contra as mulheres. A construção de robôs sexuais reforça idéias negativas sobre identidade e papéis nas relações sexuais”, disseram os especialistas.

Eles observaram que “os robôs sexuais não têm opiniões fortes, são incapazes de recusar ou revogar o consentimento e sempre se submetem aos seus usuários”, o que essencialmente “distorce as idéias sobre o papel da companheira e pode influenciar as expectativas de usuários do sexo masculino na vida real “.

“A preocupação é que, se as relações homem-robô continuarem sendo realizadas dessa maneira, existe a possibilidade de mudar a maneira como os usuários veem e praticam o consentimento em seus relacionamentos humanos, com consequências negativas para as mulheres”, disseram Udwadia e Illes.

Os especialistas também apontaram para atos de violência contra robôs sexuais que foram observados em todo o mundo nos últimos anos, incluindo “decapitação, mutilação e abuso sexual”, alertando que “para indivíduos que possam estar inclinados a agir dessa maneira, a disponibilidade de um robô para violar poderia alimentar esses comportamentos”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente