Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Rússia manda Trump baixar topete com Irã

Bartô Granja, Edição

A Rússia e o Irã rejeitaram os esforços dos Estados Unidos para introduzir um embargo “permanente” de armas contra Teerã e continuarão sua cooperação econômica, inclusive no campo da energia nuclear, apesar de quaisquer ameaças de sanções, disse o chanceler russo, Sergei Lavrov, nesta quinta, 24, após conversas com o ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif,

“Discutimos em detalhes a situação em torno do Plano de Ação Conjunto Global para resolver a situação em torno do programa nuclear do Irã, onde enfatizamos que Moscou e Teerã, como toda a comunidade internacional, rejeitam categoricamente as ambições americanas de impor algum tipo de embargo indefinido de armas”, enfatizou Lavrov.

“Ouvimos a declaração dos Estados Unidos de que, apesar da vontade de toda a comunidade internacional, eles partirão da premissa de que as sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas contra o Irã seriam restauradas por capricho de Washington. Essas tentativas por meios ilegais não têm perspectiva de sucesso”, frisou o chanceler russo.

“Concordamos em continuar a implementação de grandes projetos conjuntos de investimento, principalmente na esfera da energia, incluindo a energia nuclear, bem como transporte e cooperação industrial”, enfatizou. Lavrov também confirmou que a comissão russo-iraniana de comércio e cooperação econômica se reunirá na Rússia antes do final do ano.

Zarif chegou à capital russa na quinta-feira para discutir as relações bilaterais, o acordo nuclear e questões regionais de interesse comum. Os comentários de Lavrov seguem uma declaração do secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo, na semana passada que “virtualmente todas as sanções da ONU voltaram ao Irã”, incluindo “uma extensão permanente do embargo de armas”.

Em um raro sinal de desunião transatlântica, a União Europeia rejeitou o anúncio dos EUA, com o chefe de relações exteriores da UE, Josep Borrell, enfatizando que Washington não tem o direito de restaurar as sanções ao Irã unilateralmente com base em um acordo do qual se retirou.

O governo Trump abandonou seu compromisso com o acordo nuclear do Plano de Ação Conjunta Global em maio de 2018, aplicando duras sanções energéticas e bancárias a Teerã e ameaçando introduzir sanções secundárias contra países que continuassem a fazer negócios com a nação do Oriente Médio.

No início deste ano, Washington também começou a procurar maneiras de estender indefinidamente o embargo de armas da ONU contra o Irã. Foi introduzido em 2010 e deve ser suspenso no próximo mês, de acordo com o acordo nuclear.

Na segunda-feira, um comandante da Guarda Revolucionária do Irã anunciou que, além de permitir a compra de armas estrangeiras, o levantamento do embargo de armas da ONU permitirá que Teerã venda suas armas no exterior. A República Islâmica fez grandes avanços na criação de equipamento militar doméstico avançado nos últimos anos, construindo uma série de mísseis, drones e sistemas de defesa aérea, incluindo um sistema de mísseis que derrubou um drone de vigilância de US $ 220 milhões no espaço aéreo iraniano no Estreito de Ormuz no ano passado.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente