Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Putin com raiva

Rússia suspende gás e europeus podem morrer congelados

Publicado

Foto/Imagem:
Oleg Burunov/Via Sputniknews - Foto Reprodução

A decisão do presidente russo, Vladimir Putin, de fechar o gasoduto Nord Stream deixou o Reino Unido em pânico, disse Angela Knight, ex-presidente-executiva da associação comercial Energy UK, ao Times Radio neste domingo, 4.
Ela descreveu a medida como uma tentativa do líder russo de desencadear uma guerra econômica contra os países ocidentais. E não é só a ilha britânica. Toda a Europa Ocidental, que alimenta a Ucrânia com armas e se recusa a pagar o combustível em rublos, está ameaçada de sofrer sérias consequências no inverno que se aproxima. E muitos dos seus habitante, isso é uma certeza, morrerão de frio.

“Ele (Putin) está realmente jogando a guerra econômica extremamente bem. Ele está jogando a guerra psicológica extremamente bem. Estamos entrando em pânico como país – a Europa também está em pânico – e isso não é surpreendente e não critico isso”, disse Knight.

A ex-CEO da Energy UK também acusou o governo de seguir uma política energética “errada”, que, ela alega, “resultou em muitas dependências de países externos, e eles não são tão amigáveis”. Falando de “um choque realmente desagradável” que os britânicos “tiveram”, Knight alertou que passar por este inverno seria uma tarefa “difícil”, “cara e mortal”.

– Há uma enorme capacidade de redefinir muitas de nossas estratégias e nossas políticas e fazer isso rapidamente para recuperarmos um pouco mais dessa suficiência, e isso será útil não apenas no curto prazo, mas na verdade no médio e a longo prazo também”, acrescentou.

As declarações vieram depois que a gigante russa de gás Gazprom anunciou na sexta-feira que havia recebido um aviso do órgão de fiscalização técnica do país, Rostekhnadzor, sobre um mau funcionamento do único motor em funcionamento restante do oleoduto Nord Stream, e que a instalação foi fechada indefinidamente até as questões sejam resolvidas.

“Até que os problemas relacionados à operação do equipamento sejam eliminados, o transporte de gás através do gasoduto Nord Stream foi completamente interrompido”, disse a Gazprom.

Segundo a Gazprom, um vazamento de óleo foi detectado durante os trabalhos de manutenção na estação de compressores de Portovaya, que foram realizados em conjunto com representantes da corporação Siemens. No final do mês passado, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, enfatizou que as sanções ocidentais anti-russas levaram à suspensão das operações da Nord Stream. Ele sublinhou que Moscou e Gazprom “se comprometeram e continuam comprometidos com suas obrigações e contratos, mas que “simplesmente não podem cumpri-los no momento por causa das restrições e sanções impostas pela UE, Reino Unido e outros países”.

A Nord Stream, que atualmente é a única rota principal restante para entregas de gás russo para a Europa Ocidental, viu seu rendimento cair drasticamente neste verão depois que as autoridades canadenses atrasaram a entrega de uma turbina Siemens necessária para sua operação. Em função dessa suspensão, só no Reino Unido 60% das fábricas do  podem fechar devido ao aumento das contas de energia.

Esta semana, uma pesquisa realizada pelo grupo MakeUK alertou que as contas de energia crescentes da Grã-Bretanha podem resultar no fechamento de pelo menos 60% de todas as fábricas do país. “A crise atual está deixando as empresas diante de uma escolha difícil – cortar a produção ou fechar completamente se a ajuda não chegar em breve”, observou a pesquisa, acrescentando que 13% das fábricas agora reduziram o horário de operação ou estão evitando períodos de pico, enquanto 7% estão parando a produção por trechos mais longos.

O CEO da MakeUK, Stephen Phipson, disse à agência de notícias Bloomberg que “uma ação de emergência é necessária pelo novo governo [do Reino Unido]”, acrescentando que a Grã-Bretanha “já está ficando para trás” de seus “concorrentes globais”.

Isso ocorreu após o regulador de energia do Reino Unido, Ofgem, anunciar uma decisão na semana passada de aumentar o teto do preço da energia em 80%, para 3.549 libras por ano, a partir de 1º de outubro, devido ao aumento dos preços globais da energia.

A medida foi precedida pelo Telegraph informando que o governo do Reino Unido está considerando um esquema de doações no estilo Covid para pequenas empresas apresentar ao próximo primeiro-ministro britânico, após o vencedor na corrida pela liderança entre a secretária de Relações Exteriores Liz Truss e o ex-chanceler Rishi Sunak, que será anunciado na segunda, 5 de setembro.

Depois que a Rússia lançou sua operação militar especial na Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022, e os EUA e seus aliados aplicaram vários pacotes de sanções a Moscou, a situação energética na Europa se deteriorou consideravelmente, com a inflação no Reino Unido atingindo seu ponto mais alto desde março de 1982.

O aumento do custo de vida acabou com milhões de lares do Reino Unido, levando dezenas de milhares de trabalhadores ferroviários e postais a entrarem em greve. Um estudo realizado no mês passado pela Universidade de York sugeriu que pelo menos 45 milhões de britânicos podem estar nas garras da pobreza de combustível até janeiro de 2023 devido ao iminente aumento do teto do preço da energia.

Publicidade
Publicidade