Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

São Paulo, da pujança a grande ilha de pobreza

Vanessa Martina Silva/Diálogos do Sul

Um dos deputados mais premiados do Congresso, Paulo Teixeira (PT-SP) está em seu quarto mandato em Brasília e está na disputa do Partido dos Trabalhadores pela oportunidade de concorrer à prefeitura da cidade pelo partido.

Em entrevista à TV Diálogos do Sul,  Teixeira é categórico ao dizer que a eleição de Jair Bolsonaro (sem partido) foi uma fraude eleitoral, já que se deu por meio de mentiras (fake news) por meio da Cambridge Analytica, como a revista Diálogos do Sul vem denunciando desde 2018.

“Eu espero que essa CPI das fake News [em ação no Congresso] chegue no ninho da fraude Eleitoral de 2018 e possa desvendá-la para o povo brasileiro e ao mesmo tempo cassar a candidatura de Bolsonaro”, diz.

Teixeira destaca o papel de mobilizações no Brasil como ocorreram em Bolívia, Colômbia e outros países latino-americanos. Só dizer “Fora, Bolsonaro” não adianta sem que os trabalhadores ocupem as ruas. “Eles estão querendo acabar com os conselhos profissionais, estão retirando direitos e já temos 12 milhões de desempregados”.

Nesta conversa, ele também destacou o interesse da ex-prefeita Marta Suplicy (sem partido) de concorrer na disputa como vice do PT. Há uma polêmica na cidade em torno do tema porque ela, que já foi prefeita pelo Partido dos Trabalhadores e estava no PMDB, votou favoravelmente ao impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, também do PT, em 2016.

São Paulo
São Paulo vem sendo, há muito tempo, usada como trampolim para o governo do Estado, o que deixa a cidade sem uma verdadeira gestão. O ex-prefeito João Doria (PSDB), hoje governador, deixou o mandato nas mãos do vice, Bruno Covas, que até recentemente era desconhecido da população. O resultado é visível no abandono em que se encontra o município.

O político petista questiona o modelo do PSDB: “nunca houve tanto morador de rua na cidade de São Paulo. As Bolsas estão subindo, mas a vida real do povo é de desemprego, de gente morando na rua.

Ainda sobre o tema, o pré-candidato destaca que a prefeitura deveria ter uma ação mais eficaz para favorecer a economia solidária, as cooperativas e microempresas de crédito como forma de enfrentar o desemprego. “Precisamos de uma ação emergencial para os pobres da cidade de São Paulo”, diz.

Transporte
Para encarar a questão do transporte público, que é um dos maiores problemas da cidade, Teixeira defende a renovação da frota de ônibus para motores elétricos e mais silenciosos. De acordo com Teixeira, as três gestões do PT (Luiza Erundina – 1989 a 1992 -, Marta Suplicy – 2001 a 2005 e Fernando Haddad – 2012 a 2016) foram as que mais avançaram em termos de transporte público na capital paulista.

Para ele, também é necessário ter pontualidade no transporte: “no ponto de ônibus que ter a hora que o ônibus vai passar”. Ele também defende a gratuidade para pessoas desempregadas e bilhete mais barato no final de semana para que as pessoas possam acessar os recursos de cultura e lazer oferecidos no centro da cidade.

O pré-candidato defendeu ainda os bailes funk da cidade como expressão cultural paulistana e a instauração de locais seguros e apropriados para que a juventude possa curtir os pancadões: “eles vão fazer o baile funk em lugar adequado, sem barulho para a comunidade, com segurança, banheiros químicos, para que não aconteça nada errado. Foi essa a política feita na gestão [do ex-prefeito] Fernando Haddad”, defende.

Prévias
As prévias do PT serão realizadas no próximo dia 15 de março. O partido tem sete candidatos: Alexandre Padilha, Paulo Teixeira, Carlos Zarattini, Eduardo Suplicy, Jilmar Tatto, Nabil Bonduki e , Valkiria “Kika” de Souza Silva. Você pode já conferir, abaixo, as entrevistas que já publicamos. Se preferir, também pode ler as entrevistas com o Deputado Carlos Zarattini, o vereador Eduardo Suplicy e o ex-deputado Jilmar Tatto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente