Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Encélado

Satélite de Saturno pode ter vida. Isso é sério ou embuste?

Publicado

Foto/Imagem:
Egor Shapovalov/Via Sputniknews - Foto Reprodução

A vida em Encélado, o sexto maior satélite de Saturno, é um tema de debate científico, com muitos pesquisadores dizendo que, apesar de seu pequeno tamanho e do fato de estar coberto por uma espessa camada de gelo, pode ser um mundo habitável. Uma equipe de pesquisadores da Universidade do Arizona acredita que uma sonda espacial em órbita poderia ajudar a descobrir se há por ali vida microbiana.

Em seu artigo, os pesquisadores, que simularam tal missão , descreveram como uma sonda em órbita poderia resolver o mistério de saber se os micróbios habitam o oceano subterrâneo de Encélado. Os cientistas projetaram missões que usariam instrumentos atualizados para coletar amostras de plumas ou até pousar na superfície da lua de Saturno.

“Ao simular os dados que uma espaçonave em órbita mais preparada e avançada reuniria apenas das plumas, nossa equipe agora mostrou que essa abordagem seria suficiente para determinar com confiança se há ou não vida no oceano sem realmente ter que sondar as profundezas da lua. Esta é uma perspectiva emocionante.”

A equipe de pesquisa modelou seus cálculos com base na hipótese de que Encélado possui metanogênios, micróbios que podem viver em fontes hidrotermais oceânicas semelhantes às da Terra. Os pesquisadores calcularam qual seria a massa total de metanógenos em Encélado, bem como a probabilidade de que suas células e outras moléculas orgânicas pudessem ser ejetadas pelas plumas.

“Ficamos surpresos ao descobrir que a hipotética abundância de células equivaleria apenas à biomassa de uma única baleia no oceano global de Encélado”, disse o autor do artigo, o biólogo evolutivo Antonin Affholder. “A biosfera de Encélado pode ser muito esparsa. No entanto, nossos modelos indicam que seria produtivo o suficiente para alimentar as plumas com moléculas ou células orgânicas suficientes para serem captadas por instrumentos a bordo de uma futura espaçonave.”

O documento inclui recomendações sobre a quantidade mínima de material a ser coletado das plumas para procurar células microbianas e certas moléculas orgânicas.

Encélado foi pesquisado pela primeira vez em 1980 pela espaçonave Voyager 1 da NASA. Mais tarde, entre 2005 e 2017, a sonda Cassini da NASA voou ao redor do sistema de Saturno e estudou seus complexos anéis e satélites. Os cientistas ficaram surpresos quando a Cassini descobriu que sob a espessa camada de gelo de Encélado se esconde um oceano quente e salgado de água que emite metano.

A descoberta de macromoléculas orgânicas complexas em amostras coletadas pela Cassini da pluma de jato de Encélado em 27 de junho de 2018 alimentou discussões sobre a possibilidade de vida lá.

Publicidade
Publicidade