Curta nossa página


Crise vai exigir de Dilma bandeira branca ao Congresso Nacional

Publicado

Autor/Imagem:


As atuais dificuldades da presidente Dilma Rousseff servirão de combustível para movimentar a agenda política da próxima semana. A expectativa é que ela, seguindo orientação do ex- presidente Lula, desfralde bandeira branca para tentar baixar o clima de hostilidade dela no Congresso Nacional e junto à sociedade brasileira.

Na terça-feira (24), Dilma recebe no Palácio da Alvorada os líderes da base aliada e alguns ministros, para apresentar-lhes novas medidas econômicas a serem submetidas ao Congresso Nacional. Será o início de uma fase de diálogos.

A intenção é aproximar-se dos políticos, visando a votação das medidas do ajuste fiscal elaborado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Esse reajuste está correndo sério risco de ficar pelo caminho por falta de apoio da própria base governista.

No dia seguinte (25), os caciques do PMDB se reunirão com lideranças do empresariado nacional. Serão indagados sobre quais os projetos necessários para destravar a economia do país. Essa iniciativa do PMDB não está sendo engolida pelo Palácio do Planalto, nem pelo PT, que a apontam como um sinal de independência. Ou seja, começo do distanciamento do governo Dilma.

No Congresso, são várias as ações partidárias previstas para a próxima semana, cujos resultados terão tudo a ver com o momento de dificuldades da presidente Dilma e do PT.

Na Câmara, a distribuição entre os partidos das comissões temáticas deverá se consolidar o isolamento dos petistas. Eles serão alijados da presidência das principais Comissões. Perderão principalmente o controle da Comissão de Constituição e Justiça. Correm também o risco de perderem a relatoria da Comissão Mista do Orçamento. Outra dor de cabeça para o Palácio do Planalto será a instalação, na próxima terça-feira, da nova CPI da Petrobras.

O Congresso Nacional tem sessão prevista para terça-feira (24), para votar o Orçamento da União de 2015. Nele serão incluídas emendas dos 224 novos deputados empossados no início do mês, no valor de R$ 10 milhões cada uma. Essa decisão foi duramente criticada pelo Palácio do Planalto.

Como se vê, a próxima semana será bem complicada politicamente.

Cláudio Coletti

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2024 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.