Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Será que nossa alma gêmea realmente existe?

Julia Zayas

Quem já sentiu uma paixão inexplicável sabe o que é pensar na famosa alma gêmea. Muitos de nós já viveram aquela sensação de olhar para a pessoa amada e querer estar com ela para sempre, aquele amor indescritível, um carinho e um cuidado que simplesmente sentimos, estranhamos, mas adoramos expressar.

Porém, quando se fala em alma gêmea, muita gente pensa que o seu par perfeito será aquele que é muito parecido com você, que tem os mesmo gostos, características, preferências e comportamento parecido. Mas nem sempre é assim.

Religiões que creem na reencarnação acreditam que, quando reencarnamos, somos divididos em duas partes, uma masculina e uma feminina, e então buscamos o nosso complemento na vida em que estamos.

Por isso, se você se apaixonar muitas e muitas vezes na mesma vida e acreditar que cada um de seus parceiros ou parceiras são a sua alma gêmea, calma, está tudo bem, eles podem mesmo ser. A crença em alma gêmea diz que o amor pelo par que te complemente acontece sim mais de uma vez durante a vida, e são esses encontros que trarão uma enorme felicidade.

Encontrar a alma gêmea faz parte de um processo de reconhecimento pessoal, e precisa ser uma evolução trabalhada. Quanto mais você se conhecer pessoalmente, maior será a possibilidade de encontrar a pessoa certa para estar ao seu lado.

Mesmo diante disso tudo, não se esqueça que o amor é sempre válido, em todas as suas formas. Por isso, a paixão que você sente no momento, mesmo que não seja pela sua alma gêmea, pode ser tão intensa e importante quanto. O importante é reconhecer os seus sentimentos e percorrer os caminhos que te fazem mais feliz.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente