Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Casa e Decoração

Tá difícil lá fora? Tenha um bar em casa

Marcelo Lima

Eles já tiveram seus dias de glória. Por quase três décadas, a partir da segunda metade do século passado, manter em casa um bar bem abastecido era item quase que indispensável em qualquer sala de respeito. Nas lojas do ramo, móveis – mais ou menos exóticos – que se propunham a reunir, em torno de um balcão, armários, estantes e banquetas, eram comuns. E cobiçados.

Tempos depois, o tamanho dos imóveis diminuiu. A ideia de estimular o consumo de bebidas passou a ser vista com desconfiança e a presença de um móvel com essa finalidade, tomada como atestado de mau gosto. Até que o isolamento social colocou a questão em outra perspectiva. Afinal, se beber em casa tornou-se nossa única opção, por que não reservar uma área na qual isso possa ocorrer da forma mais confortável possível?

A rigor, o bar nunca saiu da cena doméstica. Ele apenas se renovou, ficou mais customizado e se integrou à decoração. Isolá-lo em um cômodo fechado, por exemplo, hoje está fora de questão. A área social continua sendo a preferida para posicioná-lo, mas a sala de jantar e a cozinha não ficam atrás. “Considero cantos pouco aproveitados, como o vão sob escadas”, diz a arquiteta Guta Louro.

Já no caso de um projeto executado pela arquiteta Shirlei Proença, o bar surge como um prolongamento da sala. “Meu cliente queria um cantinho onde pudesse curtir seus drinques com os amigos, jogar videogame, expor sua coleção de objetos assinados por seus ídolos do esporte. Para criar o clima, o tampo da bancada é translúcido e, para reforçar o visual hi-tech e urbano, encomendei um grafite no teto e apliquei néon à parede”, explica ela.

Tudo, claro, é uma questão de escala e orçamento. Mas a boa notícia é que, para quem está interessado em montar seu próprio bar, uma simples bandeja já pode dar conta do recado. “Gosto de usar carrinhos de chá como móvel de apoio. Aparadores ou prateleiras em estantes são também excelentes opções”, afirma o arquiteto Nildo José.

Se esse for seu caso, além dos rótulos sugeridos acima, tudo se resume a dispor de uma boa superfície de apoio, e distribuir todos (ou os principais) itens, com inspiração e critério. Veja as indicações dos arquitetos:

Acessórios básicos
Copos e taças próprios para cada bebida são essenciais. Mas também: um dosador de 30 x 50 ml; um copo mixer; um coador; uma peneira; uma coqueteleira; um macerador; uma pinça; um descascador; uma colher bailarina; e um balde de gelo com pegador.

Organização
Disponha apenas os objetos mais utilizados, distribuindo as peças por ordem de altura e uso. Os demais, conserve em um armário, gaveta ou mesmo na cozinha.

Garrafas e copos
Considere a área disponível e exponha apenas os melhores ou de desenho mais interessante. Sempre posicionando os maiores no fundo e os menores na frente.

Iluminação
Um brilho a mais no bar é sempre bem-vindo. No caso de uma bandeja, utilize velas para dar um charme a mais – o reflexo nos vidros fica lindo. Outra sugestão, para os mais urbanos, é inserir um néon.

Detalhes
Por fim, realce seu bar com um arranjo de flores simples, uma obra de arte apenas apoiada contra a parede, um vaso com uma única folha. Qualquer coisa, enfim, que faça referência ao prazer em receber.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente