Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Carta de Bolsonaro

Temer repete Dora com Josué e mostra um porto seguro

Publicado

Foto/Imagem:
João Zisman - Foto de Arquivo

Central do Brasil talvez tenha sido o filme mais importante do cinema nacional. Através dessa obra o mundo conheceu a elegância e a competência de Fernanda Montenegro, que inclusive, foi a primeira mulher, que interpretando sua personagem em língua portuguesa, recebeu a indicação ao Oscar de melhor atriz.

No filme, Dora (Montenegro) é uma mulher que ganha a vida na Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro, escrevendo cartas para analfabetos que não tinham como se comunicar com seus parentes e amigos deixados Brasil afora. Por vezes, Dora fazia as vezes de psicoterapeuta de pessoas que sequer sabiam verbalizar a dimensão de seus problemas e suas saudades.

Por mais que tenha tentado se manter distante das questões de seus “pacientes”, Dora acaba comovida com o pequeno Josué, que se vê órfão de mãe num trágico atropelamento, minutos após a vítima ter contratado Dora para escrever uma carta ao pai do garoto. O filme é excepcional sob todos os aspectos, e vale à pena assistir várias vezes.

Mas o que mais me fez lembrar de Central do Brasil, foram as semelhanças com os episódios do último dia 9. Nesse recente e histórico dia, mais uma vez uma boa e velha carta teve um caráter salvador. O Josué da vez foi o presidente Bolsonaro, que tal qual o personagem do filme, era uma criança que se encontrava perdida no meio de gente muito estranha e sem saber para onde ir.

Graças a Deus, sua Dora salvadora atende pelo nome de Michel Temer. Assim como Dora fez com Josué, Temer deixou Bolsonaro num porto seguro. Resta saber se ele vai se perder novamente.

Publicidade
Publicidade