Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Toma lá-dá-cá entra no jogo da Nova Previdência

Cláudio Coletti

A tão condenada política do “toma lá-dá-cá”, que Jair Bolsonaro, na campanha eleitoral, prometeu varrer do cenário nacional, caminha para ser usada pelo próprio presidente da República como arma para salvar a reforma da Previdência.

Com sérias dificuldades para aprovação da Nova Previdência sem sofrer uma ampla desidratação, o Palácio do Planalto aceita a recriação dos ministérios da Integração Nacional e Cidades. Eles serão ocupados por políticos indicados pelo Centrão.

As legendas do Centrão (MDB, PSDB, DEM, PSD, PR, PP, PPS, Solidariedade e PTB) foram as que mais sofreram derrotas nas eleições de outubro. Elas se agruparam e passaram a ser a maior força politica tanto na Câmara como no Senado.

Sem o apoio delas, o governo não conseguirá fazer avançar suas propostas de reforma da Previdência, mudanças nas leis tributarias e legislação anticrime.

Ante essa realidade não restou ao presidente Jair Bolsonaro se curvar ao poderio dos políticos profissionais do Centrão.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente