Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Traumann erra na estratégia e deixa a Comunicação de Dilma



A cadeira de Thomas Traumann na Secretaria de Comunicação Social do governo Dilma Rousseff está vazia. O ministro-chefe responsável pela promoção da imagem da presidente e da sua administração apresentou carta de demissão nesta quarta-feira 25. O pedido foi aceito sem constrangimentos.

Traumann deixa o cargo no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados aprovou duas convocações para que ele explicasse um documento (atribuído a ele) apontando erros de estratégia do governo. Um dos pontos que os deputados querem que seja explicado é a estratégia de utilizar “robôs” para divulgar conteúdo favorável à presidente Dilma Rousseff em redes sociais.

Em nota oficial, o Palácio do Planalto “agradeceu” a participação do agora ex-ministro. Traumann  é o segundo ministro a deixar o governo Dilma em menos de uma semana. Na última quinta-feira (19), o então ministro da Educação Cid Gomes anunciou sua saída do ministério após criticar parlamentares em um pronunciamento na Câmara. Os substitutos de Traumann e de Cid ainda não foi anunciado.

Thomas Traumann assumiu o cargo em janeiro de 2014. Desde 2012, porém, ele já atuava como porta-voz da presidência. Sua permanência na pasta sofreu desgaste nas últimas semanas quando um documento produzido pela Secom que avaliava erros e estratégias do governo se tornou público.

No documento, a Secom avaliava a comunicação do Palácio do Planalto como “errada e errática”. O documento vazou dois dias depois de manifestações contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) ter levado 2 milhões de pessoas em diversos Estados e cidades do Brasil.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente