Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Trump e Niny se vestem de MST e tomam Golan na marra da Síria

Foto/Sputniknews
Bartô Granja

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta segunda-feira, 25, uma proclamação reconhecendo a soberania de Israel sobre as disputadas colinas de Golã, durante uma reunião na Casa Branca com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. Legalmente, as terras pertencem à Síria.

A decisão pode ser comparada a ações do MST no Brasil. Sem-terra invadem uma área, fazem ameaças, e terminam ficando com a terra. Foi justamente isso que acabou de acontecer com Golan, uma região estratégica para os sírios, tomada pelos judeus na Guerra dos Seis dias, em 1967.

A decisão de Washington, em comum acordo com Tel Aviv, contraria o anúncio feito na semana passada do secretário-geral da Liga Árabe, Aboul Gheit, de que o bloco apoiava totalmente a soberania síria sobre as Colinas de Golan.

A Organização das Nações Unidas reconhece Golan como território pertencia à Síria. As declarações de Trump foram condenadas por vários países, incluindo Irã, Turquia, Síria e Rússia.

O Golan Heights, considerado pela Síria e grande parte da comunidade internacional como parte de seu território, foi ocupado por Israel durante a Guerra dos Seis Dias de 1967.

Em 1981 Tel Aviv aprovou a legislação formalmente anexando a área. As Nações Unidas não reconheceram a anexação. Além disso, em 2018, a Assembléia Geral da ONU adotou uma resolução instando Israel a retirar imediatamente suas forças das Colinas de Golã.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente