Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Não era russo

Ucrânia dá tiro no pé com caso de míssil na Polônia

Publicado

Foto/Imagem:
Antônio Albuquerque, Edição - Foto Reprodução

As declarações da mídia e autoridades polonesas sobre a suposta queda de mísseis “russos” na área do assentamento de Przewodów é uma provocação deliberada para agravar a situação da guerra Rússia-Ucrânia. Essa a posição de Moscou sobre o incidente.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, mal informado ou deliberadamente, convocou os países da Otan e os Estados Unidos a atacarem a Rússia, como resposta ao incidente. Agora, as primeiras informações indicam que o míssil foi disparado pelas próprias forças da Ucrânia.

Para Moscou, nenhum ataque foi feito contra alvos perto da fronteira do estado ucraniano-polonês pela Rússia. Os fragmentos publicados às pressas pela mídia polonesa da cena na vila de Przewodów não têm nada a ver com armas russas.

O próprio presidente dos EUA, Joe Biden, disse que é improvável, com base na trajetória, que o míssil que caiu na Polônia tenha sido disparado da Rússia. “Há informações preliminares que contestam isso, não quero dizer isso até que investiguemos completamente, mas é improvável que pela trajetória tenha sido disparado da Rússia”, disse Biden a repórteres em Bali, na Indonésia, no encerramento do G-20.

Logo depois o presidente polonês, Andrzej Duda, disse a repórteres que a Polônia não tem informações exatas sobre quais mísseis caíram em seu território. Mas acrescentou que nada indicava que o bombardeio do território polonês por mísseis poderia ser repetido. Duda observou ainda que especialistas americanos se juntariam à investigação sobre o incidente.

Publicidade
Publicidade