Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Use o som do silêncio como ferramenta de mudança

Foto/Arquivo Notibras
Luciana Kotaka

Será que você se recorda da última vez que parou para ouvir o seu coração? Uma pergunta simples que nos revela o quanto é difícil parar para olhar, sentir e identificar o que nos move, o que dispara uma angústia, um sentimento. Até abrimos a cortina e olhamos para fora rapidamente, pois já é um hábito acreditar que todo mal-estar, tudo o que nos acontece de ruim está fora e não dentro de nós.

Os atritos que estão rolando entre você e o seu colega de trabalho, a eterna implicância com o seu pai, o parceiro que vive trazendo guloseimas para casa sendo visto como responsável por você ter ganhado peso. O foco está sempre no outro, nas situações que ocorrem à sua volta. Fomos educados para identificar o que o outro faz de errado que promove os conflitos, e desta forma, desde pequenos crescemos sem aprender a autorresponsabilidade, porém é momento de mudar o foco e assumir o que acontece ao nosso redor.

Como as dificuldades se acumulam durante a trajetória de vida, é importante identificar que em algumas áreas tropeça com frequência, ou seja, parece que a área profissional não deslancha por mais que se esforce, está sempre se envolvendo em relacionamentos afetivos complicados, comendo exageradamente mesmo que esse comportamento lhe cause enxaquecas e mal-estar. A sensação é que sempre cai no mesmo buraco, por mais que tente fazer diferente.

Será que não está na hora de ligar o alerta e começar a olhar de uma forma mais minuciosa para essas repetições em sua vida? O silêncio é uma poderosa ferramenta que irá te conduzir nesse processo, basta que se permita a experimentar. Quando ficamos em silêncio por alguns minutos paramos para prestar a atenção na respiração, aos poucos irá perceber que a mente desacelera, focamos a atenção na ponta do nariz ou no próprio processo de entrada e saída de ar pelo nariz, e você perceberá que os espaços entre um pensamento e outro vão aumentando.

Esse exercício simples exige somente que você disponha a se desacelerar e tenha um momento só seu. Parece fácil, mas garanto que não é, pois vivemos em um ritmo acelerado, a ansiedade domina nossa rotina, atropelamos muitas coisas para tentar nos manter em um ritmo seguro. Mas se está cansado de ver tudo dar errado, talvez seja o momento de parar um pouco e prestar a atenção não só na respiração, mas nos seus sentimentos, no que vem se repetindo com frequência e que não faz bem, no que precisa mudar. É necessário parar de empurrar a vida com a barriga, de tentar esconder de você mesmo os fracassos, os conflitos recorrentes, respirar e ficar em silêncio é o início de uma grande mudança.

Através da autorreflexão você começará a identificar como esses fatos ocorrem, o que você faz sempre igual que acaba não dando certo, o porquê das escolhas e comportamentos repetitivos. O silêncio proporciona um olhar mais apurado para dentro de si mesmo, um exame detalhado que gera mudanças construtivas, pois lhe permitirá assumir o que é de sua responsabilidade em qualquer que seja o conflito que esteja ocorrendo.

Lanço essa proposta como uma ferramenta de mudança interna, esclarecendo que tudo o que queremos conquistar depende de esforço e mudar comportamentos não é diferente. Precisamos aprender a identificar o que pensamos, o que fazemos e o que nos leva a esse conjunto de situações que constrói ou nos destrói. Não será em uma semana, ou um mês que mudarão a sua vida, mas incorpore esse hábito e aos poucos verá como os resultados mudará de forma significativa o seu olhar sobre si mesmo e a sua vida.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente