Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Estamos seguros?

Via Láctea tem ETs ‘maliciosos’ que agem como velhos ditadores

Publicado

Foto/Imagem:
Bartô Granja, Edição - Foto Reprodução

O icônico físico Steven Hawking alertou que alcançar civilizações extraterrestres pode resultar mal para os moradores da Terra, mas parece que o alerta não diminuiu nossa curiosidade. Hoje, por exemplo, estima-se que existam pelo menos quatro civilizações alienígenas “maliciosas” na Via Láctea. São seres que agem como verdadeiros ditadores (numa comparação a regimes autoritários terrestres) que sonham ser donos do Universo.

A revelação é do pesquisador Alberto Caballero, em seu estudo “Estimando a prevalência de civilizações extraterrestres maliciosas”. O doutorando em resolução de conflitos da Universidade de Vigo, na Espanha, argumenta, porém, que não devemos ter medo de chegar a essas civilizações.

Caballero sugeriu que podemos enviar até 18.000 mensagens interestelares para diferentes exoplanetas em nossa galáxia, mas as chances de qualquer civilização “maliciosa” destruir a Terra ainda são muito pequenas. “A probabilidade de invasão extraterrestre por uma civilização cujo planeta nós enviamos mensagem é, portanto, cerca de duas ordens de magnitude menor do que a probabilidade de uma colisão de asteroides”, estimou.

O pesquisador argumentou ainda que, dado que nosso progresso tornou a sociedade mais avançada e reduziu o número de invasões, uma lógica semelhante pode ser atribuída às civilizações alienígenas.

“Nós não conhecemos as mentes dos extraterrestres. Uma civilização extraterrestre pode ter um cérebro com uma composição química diferente e eles podem não ter nossa empatia ou podem ter um comportamento mais psicopatológico”, disse ele em entrevista ao Motherboard.

É certo que a humanidade já tentou alcançar o espaço sideral em busca de vida inteligente. A Nasa indicou que vai liderar os esforços para entrar em contato com alienígenas enviando uma mensagem apelidada de “Beacon in the Galaxy “, repleta de 13 páginas de informações sobre a biologia humana, bem como ilustrações que descrevem a localização do nosso Sistema Solar.

Essas tentativas estão sendo feitas em meio às preocupações expressas pelo falecido físico Steven Hawking. Em 2015, Hawking apontou que “o contato entre humanos e organismos menos inteligentes muitas vezes tem sido desastroso do ponto de vista deles [dos organismos menos inteligentes], e os encontros entre civilizações com tecnologias avançadas versus primitivas foram ruins para os menos avançados”.

Publicidade
Publicidade