Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Você assiste ao BBB? Então saiba o que é o ceratocone de Gustavo

Foto/Reprodução
Bárbara Pereira

Você já ouviu falar em ceratocone? A doença nos olhos pouco conhecida ganhou certa repercussão por conta do Big Brother Brasil, reality show da Rede Globo que estreou na última terça-feira, 15. Gustavo Soares, participante da 19ª edição do programa, revelou ter a doença que faz com que a membrana da frente do olho fique com um formato que lembra um cone. Para não perder a visão, Gustavo precisou realizar um transplante de córnea.

O ceratocone é uma doença chamada de distrofia contínua e progressiva que ocorre na córnea, quando ela fica em forma de cone. Apesar de não ter uma causa totalmente esclarecida, ela pode estar relacionada a fatores genéticos e hereditários. Seu aparecimento mais comum ocorre na puberdade, geralmente entre os 13 e 18 anos, progride por aproximadamente 6 a 8 anos e, após esse período, tende a permanecer estável.

De acordo com o oftalmologista Sérgio Felberg, membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, dentre os fatores de risco mais comuns, o ato de coçar os olhos, principalmente em pacientes com alergia ocular crônica, parece ser o hábito mais perigoso que pode auxiliar no desenvolvimento do ceratocone.

“Existem vários tratamentos para estabilizar o ceratocone e para reestabelecer a visão desses pacientes, sendo o transplante de córnea o último recurso quando todos os outros não obtiveram sucesso”, esclarece o especialista.

Em casos mais simples, o uso de óculos, de solução salina hipertônica ou de lentes de contato terapêuticas são suficientes para melhorar a acuidade visual e nivelar a córnea. Em casos mais avançados, as lentes de contato rígidas podem ser adaptadas com sucesso. No entanto, caso a avaliação médica reconheça que tais tratamentos não são eficazes devido à gravidade, o paciente deve realizar o transplante de córnea.

O participante do BBB 19, Gustavo Soares, descobriu que tinha ceratocone por volta dos 20 anos, quando cursava Medicina. Como a doença já estava em um estágio avançado, ele precisava de um transplante de córnea para não perder a visão. O procedimento veio após um ano e meio na fila de espera. Por conta da doença, decidiu especializar-se em Oftalmologia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente