Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Veículos

Volks vai deixar a linha Up! mais enxuta

Foto/Divulgação
Mário Camargo, Edição

A Volkswagen deverá adotar com o Up! a mesma estratégia que usou com o Fox. Ao que tudo indica, a fabricante vai enxugar a linha do compacto, retirando versões de fabricação. A medida deverá ser uma resposta às baixas vendas do modelo. Em 2018 foram cerca de 20 mil novos Up! emplacados, ante 67 mil do Kwid, um concorrente direto.

Segundo a marca, a oferta reduzida de versões facilita a escolha do cliente. Ainda segundo o executivo, as vendas do Fox subiram 35% após a criação de apenas duas versões de acabamento, praticamente sem opcionais para o modelo.

No entanto, a linha do up! já é um bocado enxuta. São apenas três versões, Move, Cross e Pepper. A primeira, Move, tem três opções de motor. Pode ter um 1.0 de aspiração natural com câmbio manual, automatizado, ou ainda na versão TSI, turbinada.

A opção mais provável é que a versão com câmbio automatizado seja a primeira a sair de cena. Outro entrave para a popularização do modelo é o preço. O Up! mais barato custa R$ 52.860. Isso significa R$ 500 a mais que o Polo de entrada, com o mesmo 1.0 de três cilindros. O Polo, no entanto, além de maior, tem a mais itens como air bags laterais de série, e pode receber uma central multimídia.

As demais versões têm apelo somente visual e têm apenas motorização turbo com câmbio manual. O Cross Up! custa salgados R$ 62.430. O Up! Pepper custa R$ 400 a mais.

Além de facilitar a escolha dos compradores, a retirada de versões de catálogo pode indicar a proximidade do fim da produção do modelo. Segundo o sindicato de Taubaté, Gol, Voyage e o Up! deverão sair de linha em 2021. O fim da produção desses modelos abrirá espaço para produção de novos carros. A Volkswagen do Brasil não confirma a informação do sindicato.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente