Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Volta do comércio não gera aglomerações

Carolina Paiva, Edição

A reabertura da economia, com a volta gradual de atividades de diferentes áreas – como shoppings, centros comerciais e feiras livres -, não apresenta relação direta com a variação da taxa de isolamento social da população. É o que revela o Boletim Covid-19 Codeplan. Os índices oscilam entre as casas de 30% e 40%, valores semelhantes aos registrados antes da norma.

As lojas, na maioria, voltaram a funcionar em 27 de maio, uma quarta-feira, quando a taxa de isolamento da população apresentou o índice de 40,8%. No dia seguinte, houve uma queda (39,2%), enquanto, na sexta-feira, 29 de maio, o quantitativo de pessoas em casa aumentou para 42,3%.

Rastreamento
Por meio do rastreamento da localização de chips de celulares, a medição da taxa de isolamento é feita pela empresa In loco, que tem convênio firmado com o GDF. Até agora, o maior índice de isolamento – 48,8% – foi registrado no dia 21 deste mês, um domingo. Entre os dias úteis, a maior taxa foi registrada no dia 1º.

O período analisado, de quase um mês após o decreto, mostra que as taxas variaram entre 48,5% e 35%. Os maiores índices se apresentaram aos domingos e no primeiro dia do último feriado, quando normalmente a população costuma ficar em casa. Antes do decreto, os maiores índices foram de 65,6%, em 22 de março; 59,9%, em 29 do mesmo mês, e 57,8%, em 5 de abril.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente