Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Washington avalia suspender ajuda ao Iêmen

Bartô Granja, Edição

Washington está considerando suspender a maioria de seus programas de ajuda no Iêmen, devastado pela guerra, após a imposição de um imposto de 2% sobre a assistência do movimento houthi.

Os EUA não tomaram uma decisão final sobre o assunto, com um alto funcionário do Departamento de Estado dos EUA dizendo ao Washington Post no domingo que seria culpa dos houthis se a ajuda fosse interrompida.

“Estamos em uma situação infeliz e estamos tentando resolver o problema”, disse o funcionário. “Se tal ação fosse tomada, seria forçada pelo obstrucionismo houthi basicamente sem precedentes”.

O Post observou que, se essa suspensão fosse implementada, entraria em vigor em 1º de março de 2019. No ano fiscal de 2019, os EUA forneceram US $ 746 milhões em ajuda ao país árabe, que foi destruído pela guerra desde 2015, quando um dirigente saudita A coalizão atacou o crescente movimento houthi em nome do presidente iemenita deposto Adrabbuh Mansur Hadi.

O anúncio segue várias outras de organizações de ajuda humanitária que trabalham no Iêmen, que na semana passada disseram que estavam pensando em retirar parte de seu pessoal por causa do perigo crescente nas partes controladas por Houthi no país.

“O ambiente operacional no norte do Iêmen se deteriorou tão dramaticamente nos últimos meses que os humanitários não conseguem mais gerenciar os riscos associados à prestação de assistência no volume em que estamos atualmente”, disse um alto funcionário da ONU à Reuters , observando que, a menos que as coisas melhorem, eles terão “Não há escolha” a não ser tirar algumas pessoas.

Mane’a Al Assal, presidente de cooperação internacional do órgão de supervisão de ajuda dos houthis, disse ao Post que esse imposto era “natural”, observando que o governo precisa mitigar os custos indiretos. Ele também observou que o imposto ainda não estava sendo cobrado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente