Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Xuxa se engaja na causa gay com livro infantil

Carolina Paiva, Edição

A rainha dos baixinhos contará a história da pequena Maia, uma menina ‘arco-íris’, que tem duas mães. A proposta é abordar o conteúdo LGBT com as crianças. “Fiz esse livro pensando em tudo o que a gente está passando, tanto preconceito, tanta discriminação, tanta gente julgando as pessoas pelas suas escolhas, condições ou vontades. Aí eu tentei colocar de maneira lúdica, bonita, para que as crianças possam entender que o amor é mais importante do que qualquer coisa”, afirmou Xuxa na live com Otaviano Costa.

Ainda não foi divulgada data do lançamento do livro, que deve ter o selo da Editora Globo. Nas redes sociais, Xuxa foi alvo de aplausos e críticas pela publicação. “Deixe nossas crianças em paz”, escreveu uma internauta. Outros defenderam a iniciativa: “Se Jesus voltasse agora, ele estaria muito triste com vários daqueles que se dizem cristãos. Viva o amor, tenha ele qualquer forma”.

No Instagram, Xuxa decidiu compartilhar um texto enviado ao companheiro, Juno. “Olha que lindo o texto que o Ju recebeu de uma seguidora. Serve bem para a polêmica do livro que escrevi e que ainda nem saiu”, disse.

O texto fala sobre a importância de perceber que a culpa pode ser uma verdadeira inimiga daqueles que querem liberdade para viver sua orientação sexual. “Eu acredito na cura gay. Sabe quando ela ocorre? Quando, como vi hoje em um post, o pai pede que o filho dê um beijo no namorado para ele tirar uma foto. Também ocorre quando o neto pergunta para a avó: ‘O que a senhora faria se eu trouxesse meu namorado aqui na sua casa?’ E a avó responde: ‘Café.’ Ou quando alguém pergunta a uma criança: ‘O que você acha de um homem se casar com outro homem ou de uma mulher se casar com outra mulher?’ e a menininha pergunta: ‘ai ter bolo?’”, diz o trecho do texto atribuído a Renata Cortezac.

Na live, Xuxa também comentou que apresentará o mundo vegano aos baixinhos. “A importância da criança olhar para o bichinho e não ser aquela coisa especista ‘eu gosto de cachorro e gato, mas não to nem aí para a vaca, para a galinha ou para o peixinho’. E aí também botei dessa maneira e acho que eu vou conseguir chegar onde eu quero”, concluiu.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente