Posição de sentido

Sorte que a prótese de Garófalo foi com Figueiredo

E se a cobertura fosse na viagem do Papa?

José Escarlate

Inusitado o problema por que passou o radialista Mário Garófalo, durante viagem do presidente João Figueiredo a Manaus. Calor intenso na capital manauara. Chuva, nem sinal. Duas semanas antes da viagem Garófalo foi submetido a um pequena cirurgia para implantação de uma prótese peniana.

A “arma”, era a salvação da lavoura para o idoso moderno. A prótese que o Garófalo usava era do tipo maleável, que permite ao paciente posicionar o pênis para cima ou para baixo, após a relação sexual. Possuía dois cilindros metálicos revestidos por polietileno, com uma camada de silicone.

Já adaptado ao brinquedo, resolveu encarar a viagem. Na chegada, tudo bem. Hotel reservado, foi se banhar no apartamento para aliviar o calor. O presidente só chegaria na manhã seguinte. O calor era tão grande que o cerimonial do Planalto liberou o paletó e gravata e permitiu camisa esporte. À noite, após circulada pela Zona Franca, já em decadência, ele foi jantar uma costela de tambaqui na brasa.

Na manhã seguinte, Garófalo entra em polvorosa. Acordou o hotel inteiro às seis da matina, no meio da ducha de água fria. O diabo da prótese emperrou e, pior, para cima, em posição de guerra. Pediu ajuda, mas ninguém entendia daquilo.

A segurança, para ajudar, chamou o médico da comitiva para tentar desarmar o artefato. Tentou, tentou e, nada. A solução, com o Garófalo de arma para cima, foi comprar uma capa para que ele pudesse fazer a cobertura da viagem. Calor na casa dos 41 graus. Com a chegada do presidente, o comércio fez feriado. Lojas fechadas. Todo mundo ajudou tentando encontrar um armarinho aberto que tivesse uma capa para o Garófalo, cada vez mais nervoso.

Até que, três quarteirões adiante do hotel, uma lojinha que vendia de tudo oferecia uma capa de gabardine, para frio pesado. A contragosto o velho Nicola Garófalo, com todo aquele calor, pode fazer a cobertura para a sua rádio, envolvido pela enorme capa. Todo mundo de camisa esporte, só o Garófalo usava capa. Suava por todos os poros e com o rosto bem vermelho, contrastando com os cabelos brancos.

Durante dois dias foi um suplício para ele, inclusive aturando gozações homéricas. Na volta a Brasília, seguiu da Base Aérea direto para o médico, mostrando o prejuízo. Em três minutos o doutor tirou a engenhoca da posição de sentido, dando a ordem de descansar.

E se a cobertura fosse na viagem do Papa?
E se a cobertura fosse na viagem do Papa?
COMPARTILHE