União Europeia renova sanções contra líderes da Rússia

A União Europeia (UE) estendeu nesta segunda-feira as sanções de proibições de viagem e congelamento de ativos contra autoridades russas e separatistas pró-Moscou na Ucrânia por mais seis meses.

Entre os russos visados estão os vice-primeiros-ministros Dmitry Kozak e Dmitry Rogozin, que apoiaram ou ajudaram a levar a cabo a anexação da Crimeia, de acordo com o comunicado da UE. A lista também inclui o assessor sênior do Kremlin, Vladislav Surkov.

Em 2014, após a anexação da Crimeia pela Rússia, a UE impôs sanções a dezenas de autoridades russas e separatistas ucranianos envolvidos no conflito no leste da Ucrânia. Eles foram acusados de minar a soberania e integridade territorial da Ucrânia.

“A avaliação da situação não justifica uma mudança no regime de sanções”, disse a UE nesta segunda-feira.

COMPARTILHE