Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Agnelo, incompetente, deixa Brasília entregue ao ‘Deus dará’



A deputada Eliana Pedrosa (PPS) afirmou nesta terça-feira (25) que a incapacidade do Governo do Distrito Federal em por fim à crise na segurança pública tem prejudicado a economia local. A parlamentar responsabilizou a inoperância do governador pelo alto número de empresas fechadas e também do pífio Produto Interno Bruto (PIB) registrado no terceiro trimestre de 2013. O discurso foi feito durante a sessão plenária da Câmara Legislativa.

Segundo dados da Associação Comercial do DF (ACDF), de um total de 10.190 estabelecimentos no Plano Piloto, exatos 1.925 deixaram de funcionar em 2013. A estimativa é que, com isso, 20 mil postos de trabalho tenham sido extintos. Para Eliana Pedrosa, o único responsável por estes números é o governador.

“Sem comando, o chefe do Buriti e suas práticas políticas facilitam a ação de bandidos com sua incapacidade de cumprir a palavra com as corporações e ao mesmo tempo expulsa empresários por não lhes dar estímulos para investir e prosperar, para criar empregos e fazer mais dinâmica a economia”, disse.

Outro número que ganhou destaque foi o do crescimento econômico do DF. De acordo com o Índice de Desempenho Econômico do Distrito Federal (Idecon/DF/Codeplan), a atividade econômica registrou crescimento pífio em 2013, em torno de 0,9%, na comparação com os três primeiros trimestre de 2012. O resultado ficou abaixo do observado para o Brasil que teve alta de 2,2%, conforme informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Eliana Pedrosa mostrou-se preocupada com a situação e afirmou que toda sociedade precisa dar uma resposta aos números apresentados. “O setor produtivo precisa reagir. A sociedade precisa reagir. Brasília não pode ver crescer índices de violência, enquanto caem os índices econômicos. Nós vamos vencer os bandidos. Nós vamos colocar Brasília de volta no caminho”.

O pronunciamento de Eliana, por sua importância, vai transcrito a seguir:

Há um sentimento do senso comum de que não há mais oposição em Brasília. Esta é uma análise que depende essencialmente da linha de raciocínio que a sustenta. Se oposição é ser do contra por mero oportunismo ideológico eleitoreiro, como fez o PT por anos, então não sou oposição. Mas se oposição representa ser contra o Estado caótico que se instalou no DF, então eu, Eliana Pedrosa, sou oposição.

A minha história se confunde com a história da cidade. Estudei no Caseb e no Elefante Branco e me formei em Química na Universidade de Brasília (UnB). Naqueles dias, não havia paralisação de policiais, desestruturação da área de saúde e de educação. Eram outros tempos. Não havia ainda noticias nos jornais, dando conta de (ou de malfeitos) saqueadores (nas estruturas do) ocupando o Executivo.

É contra essas notícias que milito. Faço oposição responsável. Na semana passada eu ocupei essa mesma tribuna para falar da inoperância deste governo em relação à segurança. Tenho criticado duramente o abandono dos investimentos em áreas básicas e a transferência de recursos para as obras do estádio de Brasília.

O governo, dizia eu naquela ocasião, está sendo incapaz de expulsar os bandidos que, cada vez mais, ameaçam nossos cidadãos. Está criminalizando as corporações e criando um estado policialesco no mundo virtual e real. Este mesmo governo inepto, completa essa obra de gasto duvidoso, expulsando os empresários do Distrito Federal.

Vejam que governo temos. Sem comando, o chefe do Buriti e suas práticas políticas facilitam a ação de bandidos com sua incapacidade de cumprir a palavra com as corporações e ao mesmo tempo expulsa empresários por não lhes dar estímulos para investir e prosperar, para criar empregos e fazer mais dinâmica a economia.

Para termos uma ideia da gravidade da situação, a Associação Comercial do Distrito Federal divulgou recentemente um estudo sobre o fechamento de lojas no Plano Piloto em decorrência da falta de segurança. De um total de 10.190 estabelecimentos, exatos 1.925 deixaram de funcionar em 2013. A estimativa é que, com isso, 20 mil postos de trabalho tenham sido extintos. E isto apenas no Plano Piloto. A ACDF divulgará em breve os números de todo o DF. E adianto que não são animadores.

Ainda no terceiro trimestre de 2013, segundo dados do Índice de Desempenho Econômico do Distrito Federal (Idecon/DF/Codeplan), a atividade econômica registrou crescimento pífio, em torno de 0,9% na comparação com igual trimestre de 2012. O resultado ficou abaixo do observado para o Brasil que teve alta de 2,2%, conforme informações do IBGE. É esse o quadro que queremos para nossa cidade?

O setor produtivo precisa reagir. A sociedade precisa reagir. Brasília não pode ver crescer índices de violência, enquanto caem os índices econômicos. Nós vamos vencer os bandidos. Nós vamos colocar Brasília de volta no caminho. As nossas crianças terão escolas públicas de qualidade como as que eu tive e os nossos empresários terão um terreno fértil para investir e prosperar e, assim, ajudar a cidade a crescer de maneira ordenada e sustentável.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente