Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Ah! essas mentiras inocentes que não enganam os pais



Vancléia Gino, Edição

Um estudo, realizado por Victoria Talwar, uma renomada especialista em desenvolvimento social-cognitivo infantil, da Universaide McGrill, em Montreal, no Canadá, mostrou que crianças criadas de forma rígida, seja em casa ou na escola, tendem a se transformar em excelentes mentirosos. As informações são do site Ifl Science.

Para o experimento, Talwar e seus colegas desenvolveram um teste realizado em escolas da África. Os alunos foram convidados a tentar adivinhar os sons que vinham de trás de uma cortina. Em determinado momento, o adulto que o supervisionava saia da sala e, quando retornava, questionava a criança se ela havia espiado qual era a sequência de objetos.

A pesquisa revelou que o “índice de mentira” dos jovens criados em ambientes relaxados foi considerado “dentro dos padrões”. Já aqueles que vivem em meios severos mostraram-se extremamente rápidos e eficazes ao contar a farsa.

Victoria Talwar explicou que, temendo a punição, as crianças aprendem a mentir de forma natural. “Quando elas inventam, não é um sinal de que estão no caminho da delinquência, mas de que elas estão desenvolvendo habilidades psicologicas importantes”, disse.

De acordo com um modelo desenvolvido para o estudo, as crianças de aproximadamente 2 anos dizem “mentiras primárias”, que são projetadas para esconder ações erradas e não levam em conta as punições que podem acarretar. Muitas vezes, elas são pouco convincentes.

Aos 4 anos, apareceram as “mentiras secundárias”. Estas são mais plausíveis e suadas para esconder atitudes e comportamentos. Já por volta dos 7 ou 8 anos surgiram as “mentiras terciárias”, que costumam se fundir com os fatos reais, a fim de crias histórias aceitáveis.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente