Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Ataque dos judeus a escola em Gaza mata 19 crianças dormindo

Publicado

Foto/Imagem:


O chefe da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNWRA) classificou de “vergonha universal” o ataque israelense nesta quarta-feira (30) contra uma escola mantida pelo organismo no campo de refugiados Jabaliya, na faixa de Gaza, onde centenas de palestinos haviam se refugiado. Ao menos 19 crianças morreram e 90 ficaram feridos no ataque.

“Ontem à noite (madrugada de quarta-feira Brasília) crianças foram mortas enquanto dormiam ao lado de seus pais no chão de uma sala de aula em um abrigo da ONU em Gaza. Crianças mortas enquanto dormiam; isso é uma afronta para todos nós, uma fonte de vergonha. Hoje o mundo está em desgraça”, afirmou em nota Pierre Krähenbühl, comissário-geral da UNRWA.

“Não há palavras para expressar adequadamente minha raiva e indignação”, afirmou.

Segundo  Krähenbühl, este ataque foi o sexto contra uma escola mantida pela UNRWA em Gaza. “Nossos funcionários estão sendo mortos. É um ponto de ruptura.”

O Exército de Israel não confirma o ataque contra a escola da ONU — e diz que militantes estavam disparando do local.

Mas, na nota, a UNRWA afirma não ter dúvidas de que o ataque foi realizado por Israel. “Visitamos o local e coletamos evidências. Analisamos fragmentos, examinamos as crateras e outros danos. Nossa avaliação inicial é de que foi a artilharia israelense que atingiu nossa escola, em que 3.300 pessoas haviam se refugiado. Acreditamos que houve ao menos três impactos”, afirmou.

Ainda de acordo com a nota, a localização da escola e a informação de que estava sendo ocupada por refugiados foram comunicadas ao Exército israelense 17 vezes, a última deles horas antes do bombardeio.

Bombardeios no campo de refugiados de Jabaliya deixaram ao menos outros 23 mortos durante a madrugada. Em 23 dias de ofensiva, mais de 1240 palestinos morreram, a maioria civis. Do lado israelense, 53 soldados e 3 civis foram mortos.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade