BMW quer fabricar o novo X2 em Araquari, Santa Catarina

Foto/Divulgação

Marcus Castro, Edição

A BMW estuda fabricar seu novo utilitário-esportivo, o X2, na fábrica de Araquari, em Santa Catarina. O modelo pode se reunir ao grupo de BMW brasileiros, que inclui Série 1, Série 3, X1 e X4.

O X3, por ora, deixou de ser produzido no Brasil (leia mais abaixo).

De acordo com o presidente da BMW do Brasil, Helder Boavida, a marca está estudando qual modelo é mais viável para a produção nacional, o X2 ou a nova geração do X3. Esta é uma das atrações da montadora no Salão de Frankfurt (Alemanha), que abre as portas ao público nesta quinta-feira (4).

“Vamos decidir (sobre a produção) de um dos dois (X2 ou novo X3). Porém, também podemos concluir que não é viável nacionalizar nenhum deles.”

Cronograma. Inicialmente, está confirmado que tanto X2 quanto X3 serão vendidos no Brasil em versões importadas. O SUV maior chega no primeiro trimestre de 2018.

Já o X2, cuja estreia mundial ocorrerá em janeiro, no Salão de Detroit (EUA), chega ao Brasil no segundo trimestre.

Outra atração da BMW em Frankfurt, o novo M4 será vendido no mercado brasileiro a partir do segundo semestre de 2018.

Por fim, a marca mostra no evento alemão a moto esportiva HP4. Exclusiva, ela terá produção de cerca de 800 unidades. Na Europa, custará o equivalente a US$ 80 mil.

A HP4 deverá ser vendida no Brasil e estará no Salão Duas Rodas, que será realizado em novembro, em São Paulo.

A BMW revelou ainda em Frankfurt o conceito do novo Z4 (foto abaixo) e um inédito protótipo da submarca sustentável “i”. Trata-se do sedã Vision Dynamics, cuja versão definitiva estreará em 2025.

Já o i3 surgiu reestilizado e com uma nova versão, a S, no evento. No entanto, segundo Boavida, seu retorno ao Brasil não está confirmado. “Vai depender do Rota 2030 (novo regime automotivo brasileiro) e do que ele reservar para os carros elétricos.”

De acordo com o executivo, o importante é que os elétricos tenham tributação de IPI diferente da dos carros com motores a combustão. O executivo espera que o governo tenha algumas definições sobre o Rota 2030 até o fim deste mês, para que o programa entre em vigor em 1° de janeiro de 2018.

COMPARTILHE