Marcha pela Justiça

Crise se alastra na Turquia com a oposição nas ruas

O líder do principal partido de oposição da Turquia completou neste domingo, 9, sua “Marcha pela Justiça”, da capital, Ancara, para Istambul, unindo-se a centenas de milhares de manifestantes que protestam contra a repressão do governo a oponentes.

Kemal Kilicdaroglu, líder do Partido do Povo Republicano, iniciou a marcha de 450 quilômetros depois de um parlamentar de seu partido ter sido preso em junho. A marcha cresceu como uma manifestação contra a dura repressão a pessoas acusadas de terem ligações com grupos terroristas, na tentativa de golpe militar do ano passado.

“Por que marchamos?”, disse Kilicdaroglu enquanto discursava na manifestação. “Marchamos pela justiça que não existe. Marchamos pelos direitos dos oprimidos, pelos legisladores presos, pelos jornalistas presos… Marchamos pelos acadêmicos que foram expulsos de nossas universidades”.

Uma vez visto como um fraco líder da oposição, Kilicdaroglu emergiu como a voz de muitos turcos e tem sido relacionado ao indiano Mahatma Gandhi, que conduziu manifestações pacíficas contra as práticas coloniais do Império Britânico.

O líder da oposição pediu para que juízes e procuradores agissem conforme suas consciências, em vez de satisfazer os desejos do “palácio”, referindo-se ao presidente Recep Tayyip Erdogan. Ele também pediu pelo fim do estado de emergência declarado na esteira da tentativa de golpe, que permitiu a Erdogan impor seus decretos sem aprovação parlamentar.

Organizadores disseram que as manifestações de uma semana são uma demonstração do desejo coletivo por um sistema judicial justo e independente. O partido de Kilicdaroglu não permitiu bandeiras de partidos e slogans nos protestos, que diz ser apartidários. Autoridades do partido disseram que mais de um milhão de pessoas participaram da manifestação de encerramento.

O governo turco tem acusado Kilicdaroglu de apoiar grupos terroristas com suas manifestações. Erdogan disse que ele está violando a lei ao tentar influenciar o judiciário. A definição do governo de apoio ao terrorismo é muito ampla e tem causado um impasse na candidatura do país para fazer parte da União Europeia.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, também chegou hoje a Istambul para receber um prêmio da indústria do petróleo e se reunir com Erdogan.

O membro do parlamento Enis Berberoglu foi condenado a 25 anos de prisão por revelar segredos de Estado ao supostamente vazar imagens a um jornal de um partido da oposição sugerindo que a inteligência turca traficou armas para rebeldes islâmicos na Síria.

O estado de emergência já levou à prisão de mais de 50 mil pessoas e à demissão de mais de 100 mil servidores públicos. Uma dúzia de legisladores da oposição também foram presos.

COMPARTILHE