Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Rio

Deputados da CPI da Petrobras se reúnem na sede da companhia



Deputados que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras estão hoje (27) na sede da companhia, no Rio de Janeiro. A visita busca compreender o funcionamento das instâncias mais altas da empresa, em que são tomadas as principais decisões. Os parlamentares querem identificar os responsáveis por erros que levaram a um prejuízo de R$ 21,6 bilhões em 2014, sendo R$ 6,2 bilhões de perdas com corrupção, de acordo com balanço da estatal.

“Temos que saber quem responsabilizar pelas decisões absurdas que foram tomadas e as medidas que a Petrobras adotou para superar isso”, disse um dos integrantes da comitiva, o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ). Ele fazia referência à desvalorização de ativos da companhia, que chegou a R$ 44 bilhões, e às perdas com desvios em esquemas de corrupção. “Temos que saber sobre o déficit de R$ 6 bilhões que saiu [da Petrobras] e vamos ouvir a presidência.”

O autor do requerimento da visita, o deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA) avalia que a compreensão sobre a dinâmica das decisões da empresa, que passa pelo funcionamento do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva, contribuirá para as investigações da CPI.

De acordo com o balanço divulgado pela estatal na última quarta-feira (22), entre as causas para o prejuízo da empresa, que somou R$ 21,6 bilhões, estão, além da corrupção e da desvalorização do patrimônio, a queda no valor do barril de petróleo, cotado em dólares.

Na divulgação dos números, o presidente da companhia, Aldemir Bendine, pediu desculpas pelas irregularidades e ressaltou que a estatal vai se esforçar para recuperar o dinheiro desviado, inclusive processando pessoas apontadas nas investigações. “A empresa vai fazer todos os esforços para que ela possa reaver o maior valor possível diante desses feitos”, declarou na ocasião.

Isabela Vieira,  Abr

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente