Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Rio

Ex-presidente da Viradouro e ex-secretário são presos



O ex-presidente da Viradouro, Marco Lira, e o ex-secretário de Segurança de Niterói e ex-vereador, Marival Gomes, foram presos numa operação conjunta da Delegacia de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na manhã desta quinta-feira. Eles são acusados de serem os mandantes da morte do tenente da PM Carlos Elmir Pinto de Miranda, de 50 anos, ocorrida no dia 10 de julho de 2012, em Itaipu, na Região Oceânica de Niterói, município de região metropolitana do Rio.

Também acusado de participação no crime, o sargento do 5º BPM (Praça da Harmonia) Anderson Luiz Portugal dos Santos se apresentou à polícia. Estão sendo procurados o sargento do 12º BPM (Niterói) Sandro Borges Soares, o ex-PM Valter Carneiro da Silva Filho e Natan Augusto da Silva Pereira.

Além da morte do tenente, o grupo agora será investigado por suspeita de financiar escolas de samba e campanhas políticas, segundo o promotor Alexsanser Araújo, do Gaeco.

De acordo com o titular da DH, Wellington Vieira, Lira e Marival – ambos ex-policiais civis – tiveram a prisão decretada pela 3ª Vara Criminal de Niterói, assim como os demais acusados. Ainda segundo o delegado, as investigações apontam o ex-presidente da Viradouro e o ex-secretário como o principais suspeitos da morte do tenente. A motivação do crime estaria ligada a desvio de dinheiro da contravenção – incluindo jogo do bicho – feito pelo tenente.

“Nossa equipe está há algum tempo estudando esse caso. Ainda estamos na rua, tentando cumprir outros mandados de prisão”, disse o delegado.

O ex-secretário Marival falou com os jornalistas e negou envolvimento no crime. Ele admitiu conhecer o sargento Anderson Portugal, de quem foi padrinho de casamento e atribuiu a prisão a uma vingança:

“Vocês devem estar surpresos por eu estar falando com vocês, mas eu tenho a consciência tranquila. Existe um policial dentro da DH que tem desavenças antigas comigo e ele me envolveu nesta história para se vingar. Revelarei o nome desse policial em juízo”, disse.

Crime foi filmado

A DH chegou aos acusados graças a imagens que mostram o momento exato da execução. No vídeo, a vítima aparece estacionando o carro em uma rua, no loteamento Soter, em Itaipu. Quando Carlos terminava de manobrar o veículo, foi surpreendido por cinco homens armados. Houve intensa troca de tiros. Antes de morrer, o tenente conseguiu acertar Erides Mendes, ex-policial militar. Expulso da corporação em 2000, o ex-PM foi abandonado num hospital em Niterói e acabou morrendo.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente