Dois crimes, duas sentenças

Fundador da Gol condenado a 14 anos por assassinato

Foto/Arquivo Notibras
Bartô Granja

O empresário Nenê Constantino, fundador da Gol Linhas Aéreas, foi condenado na madrugada desta quarta, 15, a 14 anos de prisão pela morte de um caminhoneiro que ocupava um lote de propriedade da empresa. Mas, como tem mais de 70 anos de idade, a pena foi reduzida em 12 meses. A defesa promete recorrer.

Nenê tem hoje 86 anos. Ele foi acusado do assassinato do caminhoneiro Tarcísio Gomes Gomes Ferreira, em 2001. Outros dois réus envolvidos no crime também foram condenados. A sentença foi decidida pelo juiz da Vara Criminal de Taguatinga, após um julgamento que durou mais de 16 horas.

É a segunda vez que Nenê Constantino é condenado este ano por crime de assassinato. Em maio ele já havia sido sentenciado a uma pena de 16 anos de prisão pela morte de Márcio Leonardo da Sousa Brito.

O promotor Thiago Gomide saiu satisfeito com o resultado, mas não vê motivos para comemoração.

– Já perderam os familiares das vítimas e também os dos acusados, pois eles também sofrem. A única coisa boa é fazer justiça e acabar com a impunidade. Se não tivéssemos o homicídio, estaríamos melhor, disse.

COMPARTILHE