Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Veículos

Novidades do setor agitam o mercado de blindagem de veículos no Brasil



A pergunta que certamente um usuário de veículo blindado já se fez é: Por que os vidros blindados delaminam (ficam com aquelas “bolhas”)?

A resposta é incisiva e, em uníssono, quando se pesquisa o assunto junto aos blindadores e fabricantes de vidros blindados: Todo vidro blindado em policarbonato vai delaminar. Mas, como bom curioso, pergunto, por quê?

A resposta vem através da orientação técnica de Rafael Martins, conhecido no mercado como “Raffa da Blindagem”, diretor da empresa Front Gard Blindagens, que atua no mercado desde 2004, conhece o processo de fabricação dos vidros balísticos em todas as suas etapas e é figura presente nas maiores fábricas de vidros do País: “Atualmente, a esmagadora maioria dos fabricantes de vidro blindado o produzem utilizando em sua laminação um composto termoplástico chamado policarbonato.

O policarbonato tem o que, em engenharia, se conhece por memória do material, e como ele é originalmente fabricado em chapas retas, tende sempre a querer voltar à sua posição original após ser curvo para acompanhar o molde do pacote balístico transparente, causando assim, um desplacamento, pois com o tempo ele se desprende das demais camadas de vidros, fazendo surgir o que conhecemos no mercado de blindagem por delaminação.

Por essa razão os vidros blindados comuns são sensíveis ao sol: este, aquece o vidro blindado – que concentra o calor – e aquecidos, os filmes de aderência que “seguram” o policarbonato às demais camadas de vidro perdem a capacidade em impedir que o policarbonato (em constante atividade de memória em querer voltar a ficar reto) retorne à sua posição original e acaba fazendo surgir a delaminação, o descolamento.

Inconformado com essa baixa durabilidade do vidro, Raffa foi buscar novas tecnologias pelo mundo e estudar algum composto ou composição de vidro que pudesse proporcionar maior durabilidade aos vidros blindados para os veículos de seus clientes e ao mesmo tempo ter um diferencial perante o mercado que só atua com o que ele chama de “mais do mesmo”, e adivinhem: descobriu!

Ele explica: “Se o grande vilão do vidro blindado é a delaminação e já era sabido que sua causa seria a memória do policarbonato, precisaríamos encontrar um material para o substituir que tivesse uma acomodação definitiva, ou seja: ficasse estático na posição curvado, acompanhando a curvatura do vidro”.

E em 2009, após outros 4 anos estudando esse “potencial novo fornecedor” e sua tecnologia para vidros blindados, resolveu instalar os seus 3 primeiros kits de vidros blindados com essa tecnologia, são 3 BMW X6 (monitoradas pela empresa Front Gard Blindagens) que hoje, após 7 anos da sua instalação, continuam com os vidros absolutamente perfeitos, sem qualquer vestígio de delaminação, um verdadeiro sucesso!

Mas pergunto, e qual o segredo para tamanha durabilidade e uma garantia tão grande? Afinal, 10 anos de garantia para um vidro blindado que, antes, ou melhor, ainda hoje todos os demais blindadores ofertam no máximo 5? O que esse vidro tem de tão incrível?

Ele responde: “Tecnologia, fomos buscar um fabricante de vidros, homologado junto ao Exército, que aliasse tecnologia de ponta e Qualidade para que pudéssemos, então, iniciar a disponibilização aos clientes e assegurar uma Blindagem, de fato, durável. Hoje podemos garantir: A Blindagem da Front Gard é a que possui a maior durabilidade do mercado e a que possibilita um valor maior de revenda deste veículo pois os vidros estarão perfeitos ao longo dos anos. Era uma resposta da empresa para o altíssimo nível de exigência de nossos clientes, que hoje figuram entre as maiores autoridades do País, artistas de renome internacional, diversos cônsules, jogadores de futebol famosos mundialmente, enfim, acostumados somente com o que há de melhor”.

A empresa colhe os frutos desde que disponibilizou a tecnologia aos clientes: “Tivemos um crescimento de cerca de 43% no período dos últimos 6 meses, o que contraria as previsões macroeconômicas para o país e demonstra que o público está ativo e presente, além de atento às novidades e tecnologias”.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente