Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Obama e Castro anunciam o fim briga de Estados Unidos e Cuba

Publicado

Foto/Imagem:


Depois de mais de 50 anos de ruptura, os Estados Unidos e Cuba iniciaram a retomada de relações diplomáticas, informaram ambos os países nesta quarta-feira (17). “Pretendemos criar um novo capítulo nas relações entre os países”, disse o presidente norte-americano, Barack Obama, ao abrir o seu discurso.

Ele destacou que a barreira ideológica e econômica entre os dois países, desde 1961, não faz mais sentido, em referência ao regime socialista da ilha. Obama citou que o país “deve se preocupar com ameaças reais, como os grupos extremistas Al Qaeda e Estado Islâmico”.

“Esses 50 anos mostraram que o isolamento não funcionou, é tempo de outra atitude”, frisou Obama. No seu discurso, Obama usou expressões em espanhol. “Os cubanos têm um ditado: ‘No és facil’, ou ‘não é fácil’, mas hoje os Estados Unidos querem ser um parceiro no sentido de tornar a vida dos cubanos comuns um pouco mais fácil, mais livre, mais próspera”, disse. “Todos somos americanos”, concluiu em espanhol.

Ao mesmo tempo em que Obama anunciava a retomada de relações com Cuba, o presidente da ilha Raul Castro, falava aos cubanos. Em Havana, o líder destacou que o governo concordou em restabelecer as relações diplomáticas e que havia proposto aos EUA “a adoção de medidas neutras baseadas nas leis cubanas” neste processo.

Castro enfatizou, entretanto, que “há ainda muito trabalho a ser feito”. “O embargo continua por enquanto, causando prejuízos enormes ao nosso povo. Isso precisa acabar.”

Obama e Castro já haviam conversado mais cedo nesta terça-feira (16) por telefone para discutir os planos da libertação do cidadão norte-americano Alan Gross, um agente de inteligência e de três cubanos presos nos Estados Unidos.

Estão o relaxamento no fluxo de comércio, com o aumento do valor de dinheiro que pode ser enviado dos EUA para Cuba, bem como a facilitação de viagens de cidadãos daquele país à ilha.

Os EUA planejam também abrir uma embaixada em Cuba como parte de seus planos para normalizar as relações com o país de Castro. Obama designou o secretário de Estado, John Kerry, para iniciar negociações imediatas com Cuba.

A suspensão do embargo econômico à ilha dependerá, lembrou Obama, da aprovação do Congresso de seu país. O político pediu que a Casa inicie um debate “honesto” e “sério” sobre o tema. Em 1960, os Estados Unidos impuseram um embargo comercial contra Cuba – o adversário da Guerra Fria mais próximo de sua costa.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade