Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Opsss! Quer repetir, por favor? Não estou ouvindo



Os problemas de audição são implacáveis com as crianças. Além de retirar delas um dos sentidos mais importantes para a interação com o mundo, eles também podem impedi-las de desenvolver a cognição de forma eficaz.

Isso porque, segundo o otorrinolaringologista Marcio Freitas, ouvir é parte essencial do processo de aquisição de linguagem e, para evitar prejuízos que podem influenciar toda a vida, dificuldades devem ser diagnosticadas o quanto antes. Um dos principais meios para essa verificação é o chamado Teste da Orelhinha.

Obrigatório desde 2010, ele precisa ser realizado ainda na maternidade, logo após o nascimento do bebê. Inteiramente arcado pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o exame serve para fazer triagem de perda auditiva e verificar situações de surdez. “As doenças verificadas no teste podem ser graves, pois há chances de estarem associadas a outras, inclusive, a síndromes”, explica o médico.

Mesmo após o exame, na medida em que a criança cresce, é preciso ficar atento aos sinais de problemas auditivos. Conforme o especialista, infecções nas orelhas são muito comuns nos bebês e causam dor, febre e perda auditiva.

Entre os principais indícios de surdez ou diminuição na capacidade de ouvir, está a pouca interação ou atenção da criança a músicas, sons ou barulhos. “Quando ela não se assusta com trovões ou com uma porta que bate, é preciso ligar o sinal de alerta”, esclarece.

Ao perceber alterações, não importando a idade dos filhos, os pais devem procurar um otorrinolaringologista para avaliação. Alguns problemas, segundo Freitas, podem ser reversíveis e, assim, impedir as crianças de sofrer atrasos no amadurecimento emocional, educacional e social.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente