Crise hídrica

Park Way e Núcleo Bandeirante ganham reforço de água

Foto: André Borges/Agência Brasília
César Filho

Novas áreas do Núcleo Bandeirante e do Park Way começaram a ser abastecidas pela interligação entre os Sistemas Santa Maria-Torto e Descoberto no fim de novembro.

A interligação permite a transferência de água entre os dois maiores sistemas produtores de água do DF e, agora, opera com capacidade de 370 litros por segundo — o processo começou em agosto com 220 litros por segundo.

Desde então, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) tem feito obras para permitir a transferência de água do Sistema de Santa Maria-Torto para o Descoberto. As intervenções devem continuar até que a capacidade chegue em 700 litros por segundo.

Inicialmente, a interligação tinha a capacidade de transferir 220 litros por segundo, o que abastecia Guará I e II. Após a ampliação, o sistema passou a operar em 300 litros por segundo e incluiu Lúcio Costa, Núcleo Bandeirante, Park Way e Candangolândia na rota de abastecimento do Santa Maria.

Com o início do racionamento, em 16 de janeiro no Descoberto e em 27 de fevereiro no Santa Maria-Torto, a vazão do Descoberto estabilizou de 3,7 mil a 3,8 mil litros por segundo. As obras da interligação reduziram a vazão até agora para 3,3 mil litros por segundo.

O Sistema do Descoberto abastece mais de 60% do DF e está com o nível do reservatório em 10,1%.

Pouco antes do início das obras, os governadores de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e de São Paulo, Geraldo Alckmin, firmaram acordo para a Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp) emprestar equipamentos à Caesb.

As obras de interligação são executadas com recursos da tarifa de contingência, aplicada de outubro de 2016 a junho deste ano.

Além da interligação entre o Sistema de Santa Maria-Torto e do Descoberto, o governo de Brasília promove ações para minimizar a crise hídrica, como o rodízio do fornecimento de água por regiões administrativas, a entrega do Subsistema Lago Norte e as obras do Subsistema Bananal e do Sistema Corumbá, em andamento.

“A transferência de água do Sistema Santa Maria-Torto para o Descoberto só é possível devido à ampliação da capacidade de produção de água da Caesb com a inauguração do Subsistema do Lago Norte e do Subsistema do Bananal”, diz o presidente da Caesb, Maurício Luduvice.

A interligação tem o objetivo de assegurar que a água nas obras do Bananal e do Lago Norte fiquem metade no Descoberto e metade no Santa Maria. Os dois subsistemas vão aumentar, no fim das obras, a captação do Santa Maria em mais de 1,4 mil litros por segundo.

Enquanto isso, a água captada no Lago Paranoá, por meio do Subsistema Lago Norte, já assegura o abastecimento do Itapoã, Lago Norte, Paranoá, Taquari e Varjão.

COMPARTILHE