Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Opina aí

Parlamentares ‘visitam’ Brasília e voltam a colocar o pé na estrada



Senadores e deputados retornaram a Brasília para participarem do ‘’esforço concentrado‘’ marcado para as últimas terça  e quarta-feira. Mas já na quarta –feira, à noite, voltaram a colocar o pé na estrada em busca de votos para a reeleição.

Na Câmara do Deputados, esse ‘’esforço’’ só não foi um fracasso total porque os deputados conseguiram votar a medida provisória que aumenta de 6% para 7% os percentuais de brodiesel e etanol misturados ao óleo diesel e à gasolina.

Além disso nada saiu do Plenário da Câmara, Continuou a disputa entre  oposição e o PT em torno do projeto de decreto legislativo  que suspende o decreto da presidente Dilma Rousseff que regulamenta a criação de conselhos populares. Os oposicionistas alegam que tais conselhos se sobrepõem ao trabalho do Poder Legislativo, a quem cabe constitucionalmente fiscalizar e controlar as políticas públicas.

No Senado, o ‘’esforço concentrado’’ teve resultados mais positivos. Foram  aprovados três projetos importantes. Um deles fixa novas regras para a criação de novos municípios  em todo o país. O outro projeto eleva de 23,5% para 24,5% os repasses do Fundo de Participação dos Municípios para as prefeituras. Essa elevação de 1% será dividida em duas etapas: 0,5% em 2015 e os outros 0,5% em 2016.

O Senado aprovou também o projeto de decreto legislativo, que autoriza os empresários a cobrar preços diferenciados para pagamentos em dinheiro e no cartão. Quem comprar à vista poderá ganhar desconto. O projeto  vai agora à exame na Câmara dos Deputados.

Uma nova força–tarefa parlamentar foi marcada para 2 e 3 de setembro mas até lá três medidas provisórias vão perder  eficácia. Colocadas na pauta desse ‘’esforço’’ as votações da proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias  para 2015(LDO) e uma  reunião do Congresso Nacional  para exame de vetos presidenciais.

Um dos assuntos que vai movimentar os parlamentares é a cassação do deputado André Vargas ( sem partido –PR). O relator Júlio Delgado (PSB –MG) já deu seu voto pela perda de mandato de Vargas pelo envolvimento dele com o doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava –Jato da Policia Federal.

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira, projeto que vai causar muita polêmica pelo país afora. A proposta aprovada permite que bacharel de Direito possa advogar por três anos sem ter sido aprovado na avaliação da Ordem dos Advogados do Brasil.

Cláudio Coletti

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente