Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Rio

Polícia Federal prende traficantes suspeitos de ataques a UPPs



A Polícia Federal prendeu, nesta segunda-feira (21), dois criminosos suspeitos de articular os recentes ataques a Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs) no Rio de Janeiro. Bruno Eduardo da Silva Procópio, conhecido como Bruno Piná e apontado como um dos chefes do tráfico na Vila Cruzeiro, e Eduardo Luis Paixão, o Duda 2D, que estaria à frente do tráfico no Alemão, foram presos em Búzios, na Região dos Lagos, em ação conjunta com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Polícia Civil.

A ação contou com dois helicópteros. O Disque-Denúncia oferecia R$ 5 mil pela prisão de Piná, uma das maiores recompensas já pagas. A recompensa pela prisão de Duda 2D era de R$ 1000.

De acordo com a polícia, Piná também ordenou, de sua casa de luxo em Búzios, os ataques a quatro ônibus e outros três veículos na Rodovia Amaral Peixoto, na altura do quilômetro 4, perto da comunidade do Caramujo, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, neste sábado (19).

De acordo com o Disque Denúncia, Piná faz parte do tráfico de drogas que age no Conjunto de Favelas da Penha e ainda gerencia alguns pontos de drogas naquela comunidade. Primo do traficante Luiz Fernandes Procópio Ferreira, o Escobar, Piná é apontado como o segundo homem na hierarquia no Complexo da Penha. Pelo Sistema de Cadastramento de Mandados de Prisão, há um mandado de prisão expedido pela 16ª Vara Criminal da Capital, pelo crime de associação ao tráfico.

Duda 2D, de acordo com o Disque Denúncia, seria o responsável por toda contabilidade do crime que existia no Alemão. Em fevereiro de 2011, foi condenado pela morte e esquartejamento de André Luis dos Santos Jorge, o Dequinha, em uma disputa pelo tráfico. O mandante do crime teria sido Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, preso na penitenciária federal de Porto Velho, em Rondônia. Em 2012, o criminoso foi um dos denunciados pela morte de uma PM da UPP Nova Brasília.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente