Antes das urnas...

Rollemberg entrega mais escrituras de lotes em Ceilândia

Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Samira Pádua

Mais 58 lotes no Sol Nascente, em Ceilândia, foram entregues na manhã desta terça-feira (5) pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. As áreas ficam no Trecho 1 e beneficiam pessoas que tiveram de ser removidas ou realocadas para a execução de obras de infraestrutura no local.

Os terrenos ficam nas Quadras 102 e 601 e contam com pavimentação, abastecimento de água, esgotamento sanitário, energia e iluminação pública.

“É uma alegria muito grande realizar o sonho dessas famílias de morar em uma cidade regularizada, com infraestrutura, calçamento, rede de esgoto e água encanada”, disse o chefe do Executivo local.

A entrega faz parte do Lote Legal, eixo do programa Habita Brasília, que oferta, a preços bem abaixo do mercado, lotes urbanizados e regularizados para pessoas físicas inscritas no cadastro da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab).

Os contemplados de hoje são decorrentes de reassentamento e não pagarão pelos lotes. Terão direito, sem custos, ao projeto arquitetônico da casa a ser construída e a acompanhamento, pela equipe de arquitetos da Codhab, durante toda a construção.

Um deles foi Maike Jonathan de Jesus Araújo, de 26 anos. “A gente nem imaginava que poderia alcançar esta vitória. A gente sofreu muito, mas graças a Deus conseguimos superar”, disse o ajudante de gesseiro. “Este é o meu futuro, o futuro da minha família, do meu filho.”

Antes da cerimônia de entrega dos documentos, o governador visitou outras áreas do Sol Nascente, como a Vila Madureira e o Condomínio Novo Horizonte.

“Queremos uma cidade legal, e é por isso que temos o maior programa de regularização fundiária da história de Brasília. Já entregamos 40 mil escrituras, estamos fazendo a venda direta dos condomínios de classe média, entregando escrituras para igrejas, regularizando o Pró-DF”, ressaltou o governador durante discurso.

O Sol Nascente recebe, desde 2015, asfalto, redes de águas pluviais e equipamentos públicos diversos. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, a urbanização do setor habitacional vai beneficiar cerca de 95 mil moradores.

O investimento é de R$ 220,3 milhões. Setenta e cinco por cento desse dinheiro é proveniente de financiamento com a Caixa Econômica Federal, e os outros 25%, de contrapartida do governo de Brasília.

Com previsão de entrega para o fim deste ano, no Trecho 1, há obras de infraestrutura que englobam:

Conclusão de 25,2 quilômetros de redes de drenagem
Cinco lagoas de detenção
Pavimentação de 304,9 mil metros quadrados de vias

As intervenções no Trecho 2, previstas para serem entregues no primeiro semestre de 2018, compreendem:

Execução de 30,3 quilômetros de redes de drenagem
Construção de três lagoas de retenção
Pavimentação de 493,5 mil metros quadrados de vias

No Trecho 3, o contrato prevê:

21,3 quilômetros de redes de drenagem
3 lagoas de retenção
450,5 mil metros quadrados de pavimentação

Os custos para os Trechos 1, 2 e 3 são, respectivamente, R$ 58,8 milhões, R$ 95,5 milhões e R$ 66 milhões.

COMPARTILHE