Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Rio

Governo Sérgio Cabral censura críticos da Supervia na internet



A página Supervia – Vergonha para o povo carioca, que foi criada por usuários de trens do Rio no Facebook, revoltados com os péssimos serviços prestados pela concessionária, vai ter que sair do ar. Uma ação movida pelo escritório de advocacia da empresa, da advogada Adriana Ancelmo, mulher do governador Sérgio Cabral, conseguiu na Justiça a proibição da página de citar o nome da Supervia, bem como publicar fotos da estações, trens e tudo mais que for relacionado à concessionária de trens urbanos.

A ação foi concedida na última sexta-feira e é válida a partir desta terça-feira. Se os criadores da página não cumprirem a sentença receberão multa de R$ 300 mil para cada postagem. “Não entendemos até agora o motivo do bloqueio das publicações da página por parte da concessionária, visto que estamos no ar desde dezembro de 2012 prestando um serviço gratuito e verdadeiro à população. Infelizmente a liberdade de expressão (garantida pela Constituição Federal) só é válida para quem tem poder”, disse o texto da página, que convida os internautas a visitarem página Rio 40º, também no Facebook.

Os criadores estudam com advogados recorrerem da sentença.

Enquanto isso, ontem, o trem enguiçou perto da estação São Cristóvão, Zona Norte do Rio. E lá foram os passageiros a pé debaixo de sol pela linha do trem. Mais uma semana que começa igual às outras, com sofrimento para os usuários da Supervia. E claro, com o trem parado tudo atrasou. Essa é a Supervia que o vice-governador Luiz Fernando de Souza, o Pezão (PMDB), pré-candidato ao Governo do Estado, afirma que “está prestando um bom serviço”.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente