Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Tecnologia afasta atual geração jovem do sexo, coisa que não se via há 100 anos



As conexões virtuais não são atalhos para conexões carnais entre os jovens. Ao menos é o que diz um estudo realizado pela Universidade Atlântica da Flórida e publicado na revista “Archives of Sexual Behavior”. Segundo o estudo, a chamada “Geração Y” – nascida na década de 1990 – faz menos sexo do que a maioria das gerações anteriores, alcançando uma taxa mais alta somente que a geração nascida na década de 1920.

Segundo o levante, apesar da quantidade de aplicativos de encontros e comunicações, 15% dos “Millenials” americanos, entre 20 e 24 anos, não possuem parceiros sexuais desde que completaram 18 anos. Entre os nascidos na década de 1960, o número de inativos era de 6%. Entre as mulheres jovens o número é ainda mais alarmante, alcançando o dobro de inatividade sexual do que os homens, segundo a pesquisa.

Os anos 1920 foram o período da grande depressão econômica americana, o que justificaria o contexto para a baixa atividade sexual. Hoje, porém, o reconhecimento dessas razões e poréns é mais difícil. Para o professor de psicologia e pesquisador Ryne Sherman – um dos autores da pesquisa – , a educação sexual, uma maior consciência sobre doenças sexualmente transmissíveis e até o acesso facilitado à pornografia podem ser vistos como alguns dos motivos para esse resultado.

Outra curiosa hipótese é o incentivo e aumento do individualismo entre jovens, e a pressão para se adequar ao comportamento geral. De qualquer forma, fica claro que entre a experiência virtual e a vivencia real há um enorme abismo a ser conquistado – e que vale a pena ser enfrentado. As tecnologias e as relações podem ter se transformado, mas o sexo continua sendo delicioso – os mais velhos garantem.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente