Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Casa e Decoração

Uma casa fora do comum no meio da selva de pedras



Natália Mazzoni

A poucos metros do metrô Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, uma casa de 26 m² foi construída para refletir um estilo de vida. Ter pouco espaço, poucos móveis, muita ventilação e iluminação natural. A ideia caiu bem para a proprietária do terreno, alguém a fim de construir algo fora do comum.

“Não era uma questão de necessidade, o tínhamos uma área razoável, mas apresentei um projeto onde a ocupação máxima do espaço não era prioridade”, diz Fábio Marins, arquiteto responsável pela obra.

A proposta de viver em uma casa pequena veio junto com a possibilidade de ter um jardim ao ar livre, com espaço suficiente para estender uma rede e cultivar muitas plantas.

Para isso, a casa de dois pavimentos foi pensada da maneira mais compacta possível. No primeiro piso, a pequena sala de estar divide espaço com uma bancada de trabalho feita de compensado naval e fórmica. O mesmo tipo de marcenaria foi usado na cozinha, posicionada em frente ao cubo de ferro preto que abriga o único banheiro da casa.

“Buscamos materiais baratos, como o compensado, a cerâmica e o aço, que usamos na escada que leva ao segundo pavimento. Uma escolha condizente com a proposta de viver em uma casa pequena, com poucos móveis e só o necessário”, diz Marins. Para que o projeto fosse bem-sucedido, o arquiteto tratou de dar atenção a iluminação e ventilação, algo que considera essencial para viver com conforto em uma casa ou apartamento pequeno.

“É o principal, sem isso a sensação é de enclausuramento, e ninguém vive assim com qualidade. Nesse projeto, a frente e o fundo da casa são feitos com esquadrias que podem ficar abertas quando necessário”, explica. Para o projeto de iluminação, o arquiteto usou tubulação aparente em todos os ambientes, inclusive na área externa.

O mobiliário feito sob medida foi pensado para se encaixar em determinados espaços sem ocupar um centímetro sequer a mais do que o necessário. O sofá, compacto, tem rodinhas para que possa ser posicionado da maneira mais conveniente quando a casa receber hóspedes.

No quarto, o armário de roupas tem porta de correr e é feito com o mesmo compensado que aparece no resto da casa, assim como a cabeceira da cama e o criado-mudo. A decoração quase não tem adornos. Em linhas gerais, foram poucas escolhas necessárias para que a casa fosse como é hoje.

“Morar em um lugar de menos de 30 m², nesse caso, foi uma opção por um estilo de vida: viver com menos, ter mais área ao ar livre e ser mais econômico em cada escolha do dia a dia. Pode parecer difícil para quem vive em uma casa grande, mas temos de estar abertos para essa ideia.”

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente